an online Instagram web viewer

Images at CANOA Arte Indígena

Máscaras do Xingu.
.
A Terra Indígena do Xingu, TIX, criada em 1952, é uma área de ocupação de diversas etnias, formando dezesseis no total.
A multiculturalidade artística é muito grande, e algumas vezes semelhante entre elas. Esses povos, em tempos remotos, eram aliados ou inimigos entre si. Com a necessidade de união perante o real perigo, essas etnias aprenderam a conviver, trocar e se relacionar. Fazendo da constante vida cultural desses povos uma renovação.
Estas máscaras são um ponto comum dentre os diversos rituais realizados pelas etnias que vivem no Xingu.

Foto: @pripriandrade
Máscaras do Xingu. . A Terra Indígena do Xingu, TIX, criada em 1952, é uma área de ocupação de diversas etnias, formando dezesseis no total. A multiculturalidade artística é muito grande, e algumas vezes semelhante entre elas. Esses povos, em tempos remotos, eram aliados ou inimigos entre si. Com a necessidade de união perante o real perigo, essas etnias aprenderam a conviver, trocar e se relacionar. Fazendo da constante vida cultural desses povos uma renovação. Estas máscaras são um ponto comum dentre os diversos rituais realizados pelas etnias que vivem no Xingu. Foto: @pripriandrade
O povo Kayapó realiza vários rituais, dentre eles, grandes cerimônias de confirmação de nomes. O Kôkô é um desses tradicionais rituais de batismo Kayapó. São três dias de ritual, em que os Mebêngôkrê brincam, dançam e cantam com as máscaras antes e depois do pôr do Sol. Os batizados desta festa recebem nome com a raiz Kôkô. Na foto, a máscara que representa os tamanduás-bandeira, o ritual é realizado também com máscaras de outros animais como o macaco e a guariba.

Foto: Nina Taterka
O povo Kayapó realiza vários rituais, dentre eles, grandes cerimônias de confirmação de nomes. O Kôkô é um desses tradicionais rituais de batismo Kayapó. São três dias de ritual, em que os Mebêngôkrê brincam, dançam e cantam com as máscaras antes e depois do pôr do Sol. Os batizados desta festa recebem nome com a raiz Kôkô. Na foto, a máscara que representa os tamanduás-bandeira, o ritual é realizado também com máscaras de outros animais como o macaco e a guariba. Foto: Nina Taterka
A máscara Tamokó é usada tradicionalmente na festa da CUMIEIRA realizada pelas etnias Wayana e Apalaí. Ambas as etnias estão presentes no Brasil, Guiana Francesa e Suriname. A máscara é feita com fibras de arumã, cobertas de cera de abelha, pintada de barro branco e  tinta de um tipo de pedra vermelha. O corpo é feito de fibras das cascas da árvore Atê e, em alguns casos, decorado com fios de algodão cru. 
No CANOA Arte Indígena, você encontra esta e outras máscaras de diferentes etnias que representam a diversidade de rituais da cultura indígena.

Foto: @booh.sg
A máscara Tamokó é usada tradicionalmente na festa da CUMIEIRA realizada pelas etnias Wayana e Apalaí. Ambas as etnias estão presentes no Brasil, Guiana Francesa e Suriname. A máscara é feita com fibras de arumã, cobertas de cera de abelha, pintada de barro branco e tinta de um tipo de pedra vermelha. O corpo é feito de fibras das cascas da árvore Atê e, em alguns casos, decorado com fios de algodão cru. No CANOA Arte Indígena, você encontra esta e outras máscaras de diferentes etnias que representam a diversidade de rituais da cultura indígena. Foto: @booh.sg
Um brinde aos novos ares.
Um brinde aos novos ares.
Strike a Pose.
Strike a Pose.
KUARUP - a memória viva e gratificante dos entes queridos 
O Kuarup é um ritual dos grupos indígenas do Parque do Xingu para homenagear os mortos. Os troncos feitos da madeira “kuarup” são a representação concreta do espírito dos mortos ilustres. A cerimônia encerra o período de luto e os homenageados seguem então ao mundo dos mortos. Diferente do finados do ocidente, o Kuarup é uma festa alegre, afirmadora, exuberante, em que cada um pinta a sua melhor grafia corporal e adornos.

Etnias que realizam o ritual:  Mehinako, Matipu, Kuikuro, Kalapalo, Kamayurá, Waurá, Yawalapiti, Aweti

Foto: @kohleralice 
#kuarup #yawalapiti #xingu #parquedoxingu #povosindigenas #povosoriginarios #culturaindigena  #arteindigena #artecanoa #arteindigenacanoa #demarcacaoja #paraty
KUARUP - a memória viva e gratificante dos entes queridos O Kuarup é um ritual dos grupos indígenas do Parque do Xingu para homenagear os mortos. Os troncos feitos da madeira “kuarup” são a representação concreta do espírito dos mortos ilustres. A cerimônia encerra o período de luto e os homenageados seguem então ao mundo dos mortos. Diferente do finados do ocidente, o Kuarup é uma festa alegre, afirmadora, exuberante, em que cada um pinta a sua melhor grafia corporal e adornos. Etnias que realizam o ritual: Mehinako, Matipu, Kuikuro, Kalapalo, Kamayurá, Waurá, Yawalapiti, Aweti Foto: @kohleralice #kuarup  #yawalapiti  #xingu  #parquedoxingu  #povosindigenas  #povosoriginarios  #culturaindigena  #arteindigena  #artecanoa  #arteindigenacanoa  #demarcacaoja  #paraty 
'Mesa para dos ☕️' in love with this spot #paraty #brazil #arteindigena
Hoje é dia das crianças e gostaríamos de prestar nossa homenagem para todas as crianças, principalmente, para as crianças indígenas.

Desde a infância, estas crianças tem grande liberdade de escolha, estão sempre observando os adultos ou ajudando os mais velhos e são consideradas, inclusive, mediadores cósmicos. Não a toa, toda a comunidade indígena tem muito zelo pelas crianças da tribo. 
E temos muito a aprender com esse tipo de educação, pois pouco a pouco o sentido de brincar está sendo perdido em nossa sociedade. Mas acreditamos que isso pode ser recuperado através de um consumo mais consciente a cerca dos próprios brinquedos. Legal mesmo é o bom e velho peão de madeira ou as bonecas de pano e até mesmo a história antiga que passou entre gerações.

@kohleralice 
#diadascriancas #criancas #criancasindigenas #povosoriginarios #artesanato #brincar
Hoje é dia das crianças e gostaríamos de prestar nossa homenagem para todas as crianças, principalmente, para as crianças indígenas. Desde a infância, estas crianças tem grande liberdade de escolha, estão sempre observando os adultos ou ajudando os mais velhos e são consideradas, inclusive, mediadores cósmicos. Não a toa, toda a comunidade indígena tem muito zelo pelas crianças da tribo. E temos muito a aprender com esse tipo de educação, pois pouco a pouco o sentido de brincar está sendo perdido em nossa sociedade. Mas acreditamos que isso pode ser recuperado através de um consumo mais consciente a cerca dos próprios brinquedos. Legal mesmo é o bom e velho peão de madeira ou as bonecas de pano e até mesmo a história antiga que passou entre gerações. @kohleralice #diadascriancas  #criancas  #criancasindigenas  #povosoriginarios  #artesanato  #brincar 
Abya Yala - Pindorama

Em 12 de outubro há 525 anos, as embarcações espanholas ancoravam em ilhas Abya Yala, denominação dada pelos nativos da América Central e Pindorama como chamavam os povos originários brasileiros. Ávidos por riquezas, a ganância não os permitiram observar com respeito e apreço os nativos que aqui estavam. Nesse sentido, exterminaram e depreciaram suas tecnologias e conhecimentos. Atualmente, depois de muita perseverança por parte destes povos, a América Latina reconhece e comemora o dia da Resistência e Luta dos Povos Originários.

Foto: @kohleralice 
#12deoutubro #diadosoriginários #canoaindígena #arteindigena #culturaindígena #povosoriginarios #resistencia #povosindigenas #americas #paraty
Abya Yala - Pindorama Em 12 de outubro há 525 anos, as embarcações espanholas ancoravam em ilhas Abya Yala, denominação dada pelos nativos da América Central e Pindorama como chamavam os povos originários brasileiros. Ávidos por riquezas, a ganância não os permitiram observar com respeito e apreço os nativos que aqui estavam. Nesse sentido, exterminaram e depreciaram suas tecnologias e conhecimentos. Atualmente, depois de muita perseverança por parte destes povos, a América Latina reconhece e comemora o dia da Resistência e Luta dos Povos Originários. Foto: @kohleralice #12deoutubro  #diadosoriginários  #canoaindígena  #arteindigena  #culturaindígena  #povosoriginarios  #resistencia  #povosindigenas  #americas  #paraty 
"simplicidade".
"simplicidade".
Brinco Lhama @beadornaria 🐪
Brinco Lhama @beadornaria 🐪
Para o @mimofestival, exclusivamente aqui no C.A.N.O.A., estamos servindo um delicioso Chopp da cerveja artesanal Paratii. E a novidade é sabor Canoa, edição especial da marca que leva trigo, lúpulo citra e fermento belga. 
#cervejaartesanal #paraty #chopp #arteindigena #canoa #mimofestival
#Repost @beadornaria (@get_repost)
・・・
Os cestinhos são feitos por uma artesã local das mais guerreiras e talentosas. Todo respeito e admiração por Dona Cida e pelas mulheres que resistem com sua arte. Em parceria com a Bé, tradicional e contemporâneo se unem através do CANOA - Centro de Artes Nativas Originárias das Américas @artecanoa . Grata pela oportunidade!
.
#béadornaria #brincocesto #mulheresempreendedoras #cestaria #valorizeopequeno #compredolocal #quemfezseusadornos #Repost
#artesanato #arte #paraty #artepopular #palha #brinco #pompombear
#Repost  @beadornaria (@get_repost) ・・・ Os cestinhos são feitos por uma artesã local das mais guerreiras e talentosas. Todo respeito e admiração por Dona Cida e pelas mulheres que resistem com sua arte. Em parceria com a Bé, tradicional e contemporâneo se unem através do CANOA - Centro de Artes Nativas Originárias das Américas @artecanoa . Grata pela oportunidade! . #béadornaria  #brincocesto  #mulheresempreendedoras  #cestaria  #valorizeopequeno  #compredolocal  #quemfezseusadornos  #Repost  #artesanato  #arte  #paraty  #artepopular  #palha  #brinco  #pompombear