an online Instagram web viewer

#FarmaleConteASuaHistoria medias

Photos

A DII e suas complicações não irão me vencer!

Em 2011 após dois anos de problemas em casa, no trabalho, crises constantes de ansiedade e alimentação praticamente baseada em fast-food tive o início dos sintomas. De lá para cá foram anos de tortura, dores abdominais, vomitos frequentes, perda de peso, idas ao banheiro sempre cheias de sangue e muco, no total ao menos 20 ao dia. 
Até que em 2014, após muitos julgamentos, saúde totalmente fragilizada e anos de exames que só tinham resultados normais me fazendo crer que todos aqueles sintomas eram psicológicos: colonoscopia com conclusão de retocolite ulcertativa inespecífica crônica. Confesso que apesar da gravidade da doença eu fiquei aliviada por finalmente chegar ao diagnóstico e poder tratá-la. De lá pra cá foram inúmeros altos e baixos, crises feias onde eu perdia mais de 10 kg e não conseguia sequer comer, dietas totalmente restritas onde eu passei a além de tudo perder o prazer de viver já que nem comer eu podia. Junto com isso veio o fator depressivo, afinal quem aguenta anos deixando de fazer o gosta, se isolando e perdendo viagens, aniversários e emprego por conta da doença? Com a nova crise em 2015 veio também o desânimo e a vontade de morrer já que nada melhorava. Eu tive épocas pouco melhores mas nunca estive em remissão e sem sintomas, até que no ano passado tive outra crise terrível onde perdi muito sangue e fiquei com uma anemia profunda. Tentei a partir daí doses imensas de corticóide, mesalazina na dosagem máxima e azatioprina. Esse último quase me matou de vez pois não conseguia sequer sair da cama com mal estar, vômitos e dores de estômago, meu organismo rejeitou a medicação e tive início de pancreatite medicamentosa, segundo os médicos. Já sem saber o que fazer e desistindo mais uma vez de cursos, faculdade, perdendo o emprego, tentando vários tratamentos, coisas alternativas e ficando desde abril até setembro com essa crise horrível, em outubro veio a melhora ainda discreta, quando já ia entrar com medicação biológica já que mesalazina, corticoide e azatioprina não resolveram. Em outubro veio também o novo diagnóstico, de doença de Crohn. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
A DII e suas complicações não irão me vencer! Em 2011 após dois anos de problemas em casa, no trabalho, crises constantes de ansiedade e alimentação praticamente baseada em fast-food tive o início dos sintomas. De lá para cá foram anos de tortura, dores abdominais, vomitos frequentes, perda de peso, idas ao banheiro sempre cheias de sangue e muco, no total ao menos 20 ao dia. Até que em 2014, após muitos julgamentos, saúde totalmente fragilizada e anos de exames que só tinham resultados normais me fazendo crer que todos aqueles sintomas eram psicológicos: colonoscopia com conclusão de retocolite ulcertativa inespecífica crônica. Confesso que apesar da gravidade da doença eu fiquei aliviada por finalmente chegar ao diagnóstico e poder tratá-la. De lá pra cá foram inúmeros altos e baixos, crises feias onde eu perdia mais de 10 kg e não conseguia sequer comer, dietas totalmente restritas onde eu passei a além de tudo perder o prazer de viver já que nem comer eu podia. Junto com isso veio o fator depressivo, afinal quem aguenta anos deixando de fazer o gosta, se isolando e perdendo viagens, aniversários e emprego por conta da doença? Com a nova crise em 2015 veio também o desânimo e a vontade de morrer já que nada melhorava. Eu tive épocas pouco melhores mas nunca estive em remissão e sem sintomas, até que no ano passado tive outra crise terrível onde perdi muito sangue e fiquei com uma anemia profunda. Tentei a partir daí doses imensas de corticóide, mesalazina na dosagem máxima e azatioprina. Esse último quase me matou de vez pois não conseguia sequer sair da cama com mal estar, vômitos e dores de estômago, meu organismo rejeitou a medicação e tive início de pancreatite medicamentosa, segundo os médicos. Já sem saber o que fazer e desistindo mais uma vez de cursos, faculdade, perdendo o emprego, tentando vários tratamentos, coisas alternativas e ficando desde abril até setembro com essa crise horrível, em outubro veio a melhora ainda discreta, quando já ia entrar com medicação biológica já que mesalazina, corticoide e azatioprina não resolveram. Em outubro veio também o novo diagnóstico, de doença de Crohn. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Foi uma barra até chegar a conclusão do diagnóstico

Descobri que tenho Cronh em 2013, comecei a sentir dores, diarreia e perda de peso em uma viagem que fiz em setembro de 2012, fiquei pesando 36kg e foi uma barra até chegar a conclusão do diagnóstico! De lá para cá em nenhum momento parei de tomar mezalasina e o corticoide, era muito leiga referente aos assuntos da doença, não me interessava porque não queria aceitar! 
Muitos falavam que não poderia engravidar, que os remédios ia fazer mal ao bebe... blá blá blá! Deus se fez presente e mostrou que a vontade era dele! Agosto de 2016 descobrir que estava grávida de 10 semanas, confesso que fiquei com medo de tanto que falaram e feliz por está esperando um bb. A partir desse momento tudo mudou, só tomei os remédios nos primeiros dias, depois não tomei mais, foram os 9 meses de remissão durante a gravidez, não sentir exatamente nada, só tive um probleminha leve com a anemia, tive parto normal, meu bebe hoje tem 3 meses, super saudável e esperto.

Sou Joanna, tenho 24 anos, moro no Recife/PE, sou estudante, tenho doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/joanna.alves.5 e no Instagram: www.instagram.com/joannaallves/ ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. .
Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. .
Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos. Obrigada Joanna❤ .
.
#farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #farmaleachoudii #ConteASuaHistoria #ExpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes #doençadecrohn #farmale
Foi uma barra até chegar a conclusão do diagnóstico Descobri que tenho Cronh em 2013, comecei a sentir dores, diarreia e perda de peso em uma viagem que fiz em setembro de 2012, fiquei pesando 36kg e foi uma barra até chegar a conclusão do diagnóstico! De lá para cá em nenhum momento parei de tomar mezalasina e o corticoide, era muito leiga referente aos assuntos da doença, não me interessava porque não queria aceitar! Muitos falavam que não poderia engravidar, que os remédios ia fazer mal ao bebe... blá blá blá! Deus se fez presente e mostrou que a vontade era dele! Agosto de 2016 descobrir que estava grávida de 10 semanas, confesso que fiquei com medo de tanto que falaram e feliz por está esperando um bb. A partir desse momento tudo mudou, só tomei os remédios nos primeiros dias, depois não tomei mais, foram os 9 meses de remissão durante a gravidez, não sentir exatamente nada, só tive um probleminha leve com a anemia, tive parto normal, meu bebe hoje tem 3 meses, super saudável e esperto. Sou Joanna, tenho 24 anos, moro no Recife/PE, sou estudante, tenho doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/joanna.alves.5 e no Instagram: www.instagram.com/joannaallves/ ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. . Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. . Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos. Obrigada Joanna❤ . . #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #farmaleachoudii  #ConteASuaHistoria  #ExpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes  #doençadecrohn  #farmale 
Olá sou a Lo Prado, 33 anos, mãe da Lara Eduarda de 8 anos e do Luiz Neto de 2 anos e 5 meses. Tudo começou logo após o nascimento da Lara quando tive varias diarreias inexplicáveis, que intercalavam com períodos sem evacuação. Mas não dei muita importância porque já havia passado pelo mesmo algumas vezes, durante a minha adolescência. 
Até que chegou o momento, que as crises ficaram mais intensas, e fui atrás de auxilio médico, passei por 5 equipes médicas, perdi 18kg, até AIDS ouvi dizer que poderia ser o caso, detalhe que por hábito e por já ter trabalhado na área de saúde faço exame de sorologia 1x ao ano desde a época que cursei enfermagem. Até que conheci um senhorzinho bem de idade, que em uma conversa de mais de 1hr, em seu consultório e após todos os meus relatos o mesmo me olhou e falou: “você tem uma doença inflamatória intestinal e temos que descobrir qual é para tratar...”, dias depois, fiz a minha primeira colonoscopia e em abril/2011 descobri que tinha Retocolite Ulcerativa (RCU). Comecei o tratamento com mesalazina e corticoide, após algum tempo foi retirado o corticoide e fiquei apenas com a mesalazina e fui melhorando e levava uma vida bem normal para os padrões de portadores de DII. Em meados de set/2014 deu-se inicio a uma nova crise, na época gestante de 5 mês do Luiz, por erro ou falta de conhecimento médico, foi suspenso meu tratamento medicamentoso, até que meu filho nascesse,  e a RCU foi se agravando, tive anemia grave, fazia reposição de ferro semanalmente, quando Luiz nasceu fiquei bem mais debilitada, perdi cerca de 22kg em 45 dias pós parto, sendo que havia engordado cerca de 12kg ao todo. Meses depois começou a luta de idas e vindas do hospital, em um período de 11 meses, fiz exatos 9 internamentos, transfusões sanguíneas, medicamentos e mais medicamentos, tive todos os tipos de intercorrências ligadas a RCU. Cheguei a um período do qual eu tomava em torno de 25 comprimidos diários e fazia reposição de ferro 2x a semana. Tomei de uma única vez, dose máxima de Mesalazina (logo após desenvolvi reação alérgica), Pentasa Supositório, CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Olá sou a Lo Prado, 33 anos, mãe da Lara Eduarda de 8 anos e do Luiz Neto de 2 anos e 5 meses. Tudo começou logo após o nascimento da Lara quando tive varias diarreias inexplicáveis, que intercalavam com períodos sem evacuação. Mas não dei muita importância porque já havia passado pelo mesmo algumas vezes, durante a minha adolescência. Até que chegou o momento, que as crises ficaram mais intensas, e fui atrás de auxilio médico, passei por 5 equipes médicas, perdi 18kg, até AIDS ouvi dizer que poderia ser o caso, detalhe que por hábito e por já ter trabalhado na área de saúde faço exame de sorologia 1x ao ano desde a época que cursei enfermagem. Até que conheci um senhorzinho bem de idade, que em uma conversa de mais de 1hr, em seu consultório e após todos os meus relatos o mesmo me olhou e falou: “você tem uma doença inflamatória intestinal e temos que descobrir qual é para tratar...”, dias depois, fiz a minha primeira colonoscopia e em abril/2011 descobri que tinha Retocolite Ulcerativa (RCU). Comecei o tratamento com mesalazina e corticoide, após algum tempo foi retirado o corticoide e fiquei apenas com a mesalazina e fui melhorando e levava uma vida bem normal para os padrões de portadores de DII. Em meados de set/2014 deu-se inicio a uma nova crise, na época gestante de 5 mês do Luiz, por erro ou falta de conhecimento médico, foi suspenso meu tratamento medicamentoso, até que meu filho nascesse, e a RCU foi se agravando, tive anemia grave, fazia reposição de ferro semanalmente, quando Luiz nasceu fiquei bem mais debilitada, perdi cerca de 22kg em 45 dias pós parto, sendo que havia engordado cerca de 12kg ao todo. Meses depois começou a luta de idas e vindas do hospital, em um período de 11 meses, fiz exatos 9 internamentos, transfusões sanguíneas, medicamentos e mais medicamentos, tive todos os tipos de intercorrências ligadas a RCU. Cheguei a um período do qual eu tomava em torno de 25 comprimidos diários e fazia reposição de ferro 2x a semana. Tomei de uma única vez, dose máxima de Mesalazina (logo após desenvolvi reação alérgica), Pentasa Supositório, CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Doença de Crohn em remissão e muitas lágrimas de gratidão!

Junho de 2015: comecei a sentir dores abdominais e febres altas, vários exames e nada... Tive uma fissura anal e muco nas fezes o que me fez procurar um proctologista, as febres continuaram, mais exames e nada... Por fim, fiz uma ressonância, um abscesso retal, cirurgia para drenagem urgente, mas nada de diagnóstico. Uma semana após a cirurgia, dores e febres ainda piores, totalmente fragilizada viajo para procurar recursos na capital (Curitiba), o médico que me atende pediu internamento urgente, novo abscesso retal ainda pior.

Setembro de 2015: após cirurgia e biópsia, diagnosticada com doença de Crohn, 11 dias internada ainda mais fraca, recebo alta, e as coisas só pioram, uma semana depois, vou para outro hospital na cadeira de rodas, conseguindo apenas respirar, fazendo muito esforço para isso. Mais abscessos, e sepse, rins e bexiga parando, tratamento de uma  semana antes de nova cirurgia. Mais 11 dias internada, uma fístula anal que cabia uma mão fechada dentro. Antibióticos, corticoides, mezalasina, e o processo para entrada com infliximabe. Cadeira de rodas e cama 24 horas por dia durante 3 meses. 
Janeiro de 2016: início das infusões de infliximabe e início de uma nova vida.9 meses depois do início...Maio de 2016: retorno para minha cidade, minha casa, meu trabalho e minha paixão (ballet clássico). Posso dizer que foram os meses mais intensos, perdi 15 kg, quase todo o cabelo, o namorado, e algumas vezes a esperança. Tive medo de morrer, desejei morrer, chorei em silêncio, roguei para que as dores acabassem, acreditei! 
Novembro de 2016: resultado de colonoscopia - doença de Crohn em remissão e muitas lágrimas de gratidão! 
Julho de 2017: quase dois anos após o diagnóstico, a vida nunca mais foi a mesma, são medicamentos diários e seus efeitos colaterais, viagens frequentes para tratamento, algumas dores e indisposições, faltas no trabalho, e um coração grato pela vida. Eu nunca mais fui a mesma, hoje sou melhor, muito melhor. Agradeço por cada simplicidade que a vida me presenteia, sorrio com mais frequencia e CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Doença de Crohn em remissão e muitas lágrimas de gratidão! Junho de 2015: comecei a sentir dores abdominais e febres altas, vários exames e nada... Tive uma fissura anal e muco nas fezes o que me fez procurar um proctologista, as febres continuaram, mais exames e nada... Por fim, fiz uma ressonância, um abscesso retal, cirurgia para drenagem urgente, mas nada de diagnóstico. Uma semana após a cirurgia, dores e febres ainda piores, totalmente fragilizada viajo para procurar recursos na capital (Curitiba), o médico que me atende pediu internamento urgente, novo abscesso retal ainda pior. Setembro de 2015: após cirurgia e biópsia, diagnosticada com doença de Crohn, 11 dias internada ainda mais fraca, recebo alta, e as coisas só pioram, uma semana depois, vou para outro hospital na cadeira de rodas, conseguindo apenas respirar, fazendo muito esforço para isso. Mais abscessos, e sepse, rins e bexiga parando, tratamento de uma semana antes de nova cirurgia. Mais 11 dias internada, uma fístula anal que cabia uma mão fechada dentro. Antibióticos, corticoides, mezalasina, e o processo para entrada com infliximabe. Cadeira de rodas e cama 24 horas por dia durante 3 meses. Janeiro de 2016: início das infusões de infliximabe e início de uma nova vida.9 meses depois do início...Maio de 2016: retorno para minha cidade, minha casa, meu trabalho e minha paixão (ballet clássico). Posso dizer que foram os meses mais intensos, perdi 15 kg, quase todo o cabelo, o namorado, e algumas vezes a esperança. Tive medo de morrer, desejei morrer, chorei em silêncio, roguei para que as dores acabassem, acreditei! Novembro de 2016: resultado de colonoscopia - doença de Crohn em remissão e muitas lágrimas de gratidão! Julho de 2017: quase dois anos após o diagnóstico, a vida nunca mais foi a mesma, são medicamentos diários e seus efeitos colaterais, viagens frequentes para tratamento, algumas dores e indisposições, faltas no trabalho, e um coração grato pela vida. Eu nunca mais fui a mesma, hoje sou melhor, muito melhor. Agradeço por cada simplicidade que a vida me presenteia, sorrio com mais frequencia e CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Já enviou o seu? Amanhã tem depoimento por aqui!

@Regranned from @farmale -  Conte a Sua História é um espaço que podemos chamar de divã onde você pode desabafar escrevendo sobre as suas experiências, as dificuldades, as soluções que você descobriu, suas observações sobre a sua vida após o diagnóstico com a doença de Crohn ou a Retocolite Ulcerativa. Sigmund Freud, criador da Psicanálise, disse certa vez: “A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como são umas poucas palavras boas”. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. Tenha certeza que a sua história estará ajudando alguém, não importa se o enredo é triste ou feliz, a sua história é um relato de situações que podem ajudar outra pessoa que está se sentindo perdida e sozinha nessa jornada. A sua história pode ser um incentivo e inspiração para muitas pessoas! Uma terapia eficaz que beneficia muitas pessoas, inclusive você. Encontrar outras pessoas com os mesmos problemas e que, em muitos casos, os resolveram, pode ajudar bastante também no processo de adaptação à doença. Tem um formulário bem simples no blog para você compartilhar a sua história e se você já se animou em contar é só ir até lá 👉www.farmale.com.br , clicar na aba Conte Sua História. Você pode
compartilhar uma foto sua também! ✍Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. 
Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos.

#farmaleachoudii #doençadecrohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes  #farmaleempodera - #regrann
Já enviou o seu? Amanhã tem depoimento por aqui! @Regranned from @farmale - Conte a Sua História é um espaço que podemos chamar de divã onde você pode desabafar escrevendo sobre as suas experiências, as dificuldades, as soluções que você descobriu, suas observações sobre a sua vida após o diagnóstico com a doença de Crohn ou a Retocolite Ulcerativa. Sigmund Freud, criador da Psicanálise, disse certa vez: “A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como são umas poucas palavras boas”. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. Tenha certeza que a sua história estará ajudando alguém, não importa se o enredo é triste ou feliz, a sua história é um relato de situações que podem ajudar outra pessoa que está se sentindo perdida e sozinha nessa jornada. A sua história pode ser um incentivo e inspiração para muitas pessoas! Uma terapia eficaz que beneficia muitas pessoas, inclusive você. Encontrar outras pessoas com os mesmos problemas e que, em muitos casos, os resolveram, pode ajudar bastante também no processo de adaptação à doença. Tem um formulário bem simples no blog para você compartilhar a sua história e se você já se animou em contar é só ir até lá 👉www.farmale.com.br , clicar na aba Conte Sua História. Você pode compartilhar uma foto sua também! ✍Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos. #farmaleachoudii  #doençadecrohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  - #regrann 
O apoio da minha família foi fundamental

Em 2013 durante exames de rotina descobri um câncer de intestino, da data da descoberta pra a cirurgia foram 2 meses. Em 27 de setembro fui para a sala de cirurgia, por ser do tamanho de uma laranja média, o tumor não pode ser removido por videolaparoscopia, então foi necessário um corte no abdomen. Perfuração de bexiga, perfuração do intestino delgado, fístula, e barriga aberta por 5 dias, enfim conheci todas as UTIs do hospital e todo tempo consciente. Foram várias cirurgias, pois ainda usei bolsa de ileostomia, que na retirada, deixou uma hérnia, fiz a cirurgia para correção da hérnia e ai houve recidiva, então nova cirurgia. Erros médicos? Não sei! A única coisa que sei é que nunca perdi a minha fé. Deus sempre esteve comigo. Fiz quimioterapia por seis meses, não caiu meu cabelo, foi tranquilo, minha imunidade nunca caiu. Agora ja vou retirar o cateter que coloquei pra fazer a quimio. Tudo isso me fez refletir, mudar o meu estilo e vida. Hoje faço nutrição, voltei a exercer minha profissão que amo, adoro treinar, dar treino. Minha alimentação mudou, hoje sou mais atenta a qualidade do que como, prefiro descascar a desembalar. Mas tenho uma certeza: EU TINHA QUE PASSAR POR TUDO QUE PASSEI, FOI DEUS ME DIZENDO: "EI MOÇA O CAMINHO NÃO É POR AI" FOI UM SACUDIDA. E SAIR MAIS FORTE, PÉ NO CHÃO, MAIS HUMANA, MAIS HUMILDE E MAIS, MAIS GRATA AQUELE QUE ME PERMITIU FICAR MAIS UM TEMPO DESSE LADO DA VIDA, PQ AINDA TENHO UMA MISSÃO AQUI. E o apoio da minha família foi fundamental, todas as vezes em que abria os olhos, via meu marido ao lado do meu leito, e isso só fortaleceu mais ainda o nosso amor, minhas filhas, minha mãe e meu neto  sempre em oração.

Pra quem passou ou passa por uma situação dessas ou parecida, não desista, tenha fé.

Sou a Lourdes, tenho 54 anos, moro em São Luiz/Ma, sou Fisiologista do Exercício. ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. 
Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos. 
Obrigada Lourdes ❤

#farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria
O apoio da minha família foi fundamental Em 2013 durante exames de rotina descobri um câncer de intestino, da data da descoberta pra a cirurgia foram 2 meses. Em 27 de setembro fui para a sala de cirurgia, por ser do tamanho de uma laranja média, o tumor não pode ser removido por videolaparoscopia, então foi necessário um corte no abdomen. Perfuração de bexiga, perfuração do intestino delgado, fístula, e barriga aberta por 5 dias, enfim conheci todas as UTIs do hospital e todo tempo consciente. Foram várias cirurgias, pois ainda usei bolsa de ileostomia, que na retirada, deixou uma hérnia, fiz a cirurgia para correção da hérnia e ai houve recidiva, então nova cirurgia. Erros médicos? Não sei! A única coisa que sei é que nunca perdi a minha fé. Deus sempre esteve comigo. Fiz quimioterapia por seis meses, não caiu meu cabelo, foi tranquilo, minha imunidade nunca caiu. Agora ja vou retirar o cateter que coloquei pra fazer a quimio. Tudo isso me fez refletir, mudar o meu estilo e vida. Hoje faço nutrição, voltei a exercer minha profissão que amo, adoro treinar, dar treino. Minha alimentação mudou, hoje sou mais atenta a qualidade do que como, prefiro descascar a desembalar. Mas tenho uma certeza: EU TINHA QUE PASSAR POR TUDO QUE PASSEI, FOI DEUS ME DIZENDO: "EI MOÇA O CAMINHO NÃO É POR AI" FOI UM SACUDIDA. E SAIR MAIS FORTE, PÉ NO CHÃO, MAIS HUMANA, MAIS HUMILDE E MAIS, MAIS GRATA AQUELE QUE ME PERMITIU FICAR MAIS UM TEMPO DESSE LADO DA VIDA, PQ AINDA TENHO UMA MISSÃO AQUI. E o apoio da minha família foi fundamental, todas as vezes em que abria os olhos, via meu marido ao lado do meu leito, e isso só fortaleceu mais ainda o nosso amor, minhas filhas, minha mãe e meu neto  sempre em oração. Pra quem passou ou passa por uma situação dessas ou parecida, não desista, tenha fé. Sou a Lourdes, tenho 54 anos, moro em São Luiz/Ma, sou Fisiologista do Exercício. ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História.  Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos.  Obrigada Lourdes ❤ #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria 
A luta é muito grande!

Durante muitos anos eu sentia incômodos abdominas que com o passar do tempo foi se transformando em dor, e apesar de ir a muitos médicos, fazer muitos exames sem diagnóstico, tomar muitos remédios diferentes que eram receitados, mas nada resolvia. Em 2012 eu comecei a ter uma piora significativa, sentia dores 24 horas por dia e muito mal estar e quando a dor ficava intensa era só emergência que resolvia. Passei por dezenas de internações curtas. Em dezembro de 2013,  fiquei internada por 20 dias, no Hospital Federal de Ipanema, no Rio fizeram muitos exames, tomei muitos remédios, sai de lá tomando corticóide, disseram que eu tinha uma lesão no intestino e seria chamada para fazer uma cirurgia, porém uma médica Dra Juliana que era médica Residente me disse para procurar um gastroenterologista  experiente, percebi que ela não concordava com o tratamento e nem com a solução cirúrgica. 
No inicio de 2014 fui submetida a uma vídeo laparoscopia exploradora, como Dr. Marcelo Enne, disse ter achado um ponto de inflamação, e que eu teria que fazer tratamento clinico. As coisas foram só piorando eu estava cada dia mais fraca, anêmica e muito magra, tinha suboclusão intestinal seguidas, mas graças a Deus, regredia e eu escapava da cirurgia de emergência.

No final de 2014 encontrei uma Gastroenterologista chamada Doutora Renata Fróes, que finalmente me deu o diagnóstico, Doença de Crohn, tive reação alérgica a Mesalazina e a Azatioprina, ai iniciei o tratamento com Humira (adalimumabe), mais infelizmente já estava avançada e teria de ser operada. Comecei a me preparar para cirurgia, o médico indicado não aceitava o meu plano, vários amigos se juntaram e nos deram o valor da cirurgia, mas o plano acabou assumindo o custo. No dia 06 de abril de 2015 fui operada pelo Doutor André da Luz, coloproctologista no Hospital Copa D’Or, quando acordei estava no CTI intubada, tinha tido parada respiratória, eu tinha 26 estenoses, perdi duas partes do meu intestino delgado, fui evoluindo, e fui para o quarto, no 3º dia comecei a desenvolver uma infecção que só piorava tive de ser operadas as pressas no dia 12 de abril,  CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
A luta é muito grande! Durante muitos anos eu sentia incômodos abdominas que com o passar do tempo foi se transformando em dor, e apesar de ir a muitos médicos, fazer muitos exames sem diagnóstico, tomar muitos remédios diferentes que eram receitados, mas nada resolvia. Em 2012 eu comecei a ter uma piora significativa, sentia dores 24 horas por dia e muito mal estar e quando a dor ficava intensa era só emergência que resolvia. Passei por dezenas de internações curtas. Em dezembro de 2013,  fiquei internada por 20 dias, no Hospital Federal de Ipanema, no Rio fizeram muitos exames, tomei muitos remédios, sai de lá tomando corticóide, disseram que eu tinha uma lesão no intestino e seria chamada para fazer uma cirurgia, porém uma médica Dra Juliana que era médica Residente me disse para procurar um gastroenterologista  experiente, percebi que ela não concordava com o tratamento e nem com a solução cirúrgica. No inicio de 2014 fui submetida a uma vídeo laparoscopia exploradora, como Dr. Marcelo Enne, disse ter achado um ponto de inflamação, e que eu teria que fazer tratamento clinico. As coisas foram só piorando eu estava cada dia mais fraca, anêmica e muito magra, tinha suboclusão intestinal seguidas, mas graças a Deus, regredia e eu escapava da cirurgia de emergência. No final de 2014 encontrei uma Gastroenterologista chamada Doutora Renata Fróes, que finalmente me deu o diagnóstico, Doença de Crohn, tive reação alérgica a Mesalazina e a Azatioprina, ai iniciei o tratamento com Humira (adalimumabe), mais infelizmente já estava avançada e teria de ser operada. Comecei a me preparar para cirurgia, o médico indicado não aceitava o meu plano, vários amigos se juntaram e nos deram o valor da cirurgia, mas o plano acabou assumindo o custo. No dia 06 de abril de 2015 fui operada pelo Doutor André da Luz, coloproctologista no Hospital Copa D’Or, quando acordei estava no CTI intubada, tinha tido parada respiratória, eu tinha 26 estenoses, perdi duas partes do meu intestino delgado, fui evoluindo, e fui para o quarto, no 3º dia comecei a desenvolver uma infecção que só piorava tive de ser operadas as pressas no dia 12 de abril, CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Mudou a minha vida toda

Eu estava a mil na vida, trabalhando, estudando, namorando, só parava para dormir mesmo a noite, a cabeça cheia de planos um futuro certo... até que tudo mudou, dores... muitas e muitas dores, e tudo que vem junto, e a notícia, vc tem retocolite ulcerativa, é o que????? Não tinha cura, não tem. Mudou a minha vida toda, fui internada, duas vezes, cheguei ao meu limite, e percebi que realmente tudo tinha mudado. Minha vida parou por 2 anos, eu não sabia mais o que fazer, como seria, e na verdade, ainda não sei... mas eu ainda estou aqui, ainda não é fácil, nem um pouco, medicações, exames... tudo isso é tão exaustivo... mas eu ainda estou aqui... e vou ficar. 
Aprendi que posso ser muito mais forte do que nunca imaginei... estou aqui.... Sou a Cah, tenho 29 anos, moro em Osasco, sou Assistente de Logística, tenho Retocolite Ulcerativa. ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. 
Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos. 
Obrigada Cah ❤

#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Mudou a minha vida toda Eu estava a mil na vida, trabalhando, estudando, namorando, só parava para dormir mesmo a noite, a cabeça cheia de planos um futuro certo... até que tudo mudou, dores... muitas e muitas dores, e tudo que vem junto, e a notícia, vc tem retocolite ulcerativa, é o que????? Não tinha cura, não tem. Mudou a minha vida toda, fui internada, duas vezes, cheguei ao meu limite, e percebi que realmente tudo tinha mudado. Minha vida parou por 2 anos, eu não sabia mais o que fazer, como seria, e na verdade, ainda não sei... mas eu ainda estou aqui, ainda não é fácil, nem um pouco, medicações, exames... tudo isso é tão exaustivo... mas eu ainda estou aqui... e vou ficar. Aprendi que posso ser muito mais forte do que nunca imaginei... estou aqui.... Sou a Cah, tenho 29 anos, moro em Osasco, sou Assistente de Logística, tenho Retocolite Ulcerativa. ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos. Obrigada Cah ❤ #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Entenda a importância de cada depoimento doado ao www.farmale.com.br e compartilhado pelas redes sociais. Essa mãe encontra nesses depoimentos uma luz e força para lutar pela sua cria❤. Obrigada @gifioresi por permitir que eu compartilhe seu relato. 
Cada depoimento que recebo e compartilho tem o poder de informar, apoiar, CONSCIENTIZAR. São nossas vivências em busca do diagnóstico e do tratamento. São nossas vivências com o que deu errado e que vem dando certo. E não pense que os depoimentos levam luz só para os que estão convivendo com as doenças inflamatórias intestinais, estão levando luz para os profissionais de saúde que muitas vezes desconhecem essas doenças. 
Desejo que cada um de vocês seja tocado por essa vontade de CONSCIENTIZAR e compartilhe seu depoimento. 
Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. Tenha certeza que a sua história estará ajudando alguém, não importa se o enredo é triste ou feliz, a sua história é um relato de situações que podem ajudar outra pessoa que está se sentindo perdida e sozinha nessa jornada. Encontrar outras pessoas com os mesmos problemas e que, em muitos casos, os resolveram, pode ajudar bastante também no processo de adaptação à doença. Para você compartilhar a sua história vá até o blog 👉www.farmale.com.br e clique na  aba Conte Sua História. Para ler os depoimentos clique na aba Depoimento. #farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes #doençadeCrohn #retocoliteulcerativa
Entenda a importância de cada depoimento doado ao www.farmale.com.br e compartilhado pelas redes sociais. Essa mãe encontra nesses depoimentos uma luz e força para lutar pela sua cria❤. Obrigada @gifioresi por permitir que eu compartilhe seu relato. Cada depoimento que recebo e compartilho tem o poder de informar, apoiar, CONSCIENTIZAR. São nossas vivências em busca do diagnóstico e do tratamento. São nossas vivências com o que deu errado e que vem dando certo. E não pense que os depoimentos levam luz só para os que estão convivendo com as doenças inflamatórias intestinais, estão levando luz para os profissionais de saúde que muitas vezes desconhecem essas doenças. Desejo que cada um de vocês seja tocado por essa vontade de CONSCIENTIZAR e compartilhe seu depoimento. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. Tenha certeza que a sua história estará ajudando alguém, não importa se o enredo é triste ou feliz, a sua história é um relato de situações que podem ajudar outra pessoa que está se sentindo perdida e sozinha nessa jornada. Encontrar outras pessoas com os mesmos problemas e que, em muitos casos, os resolveram, pode ajudar bastante também no processo de adaptação à doença. Para você compartilhar a sua história vá até o blog 👉www.farmale.com.br e clique na aba Conte Sua História. Para ler os depoimentos clique na aba Depoimento. #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes  #doençadeCrohn  #retocoliteulcerativa 
Conte a Sua História é um espaço que podemos chamar de divã onde você pode desabafar escrevendo sobre as suas experiências, as dificuldades, as soluções que você descobriu, suas observações sobre a sua vida após o diagnóstico com a doença de Crohn ou a Retocolite Ulcerativa. Sigmund Freud, criador da Psicanálise, disse certa vez: “A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como são umas poucas palavras boas”. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. Tenha certeza que a sua história estará ajudando alguém, não importa se o enredo é triste ou feliz, a sua história é um relato de situações que podem ajudar outra pessoa que está se sentindo perdida e sozinha nessa jornada. A sua história pode ser um incentivo e inspiração para muitas pessoas! Uma terapia eficaz que beneficia muitas pessoas, inclusive você. Encontrar outras pessoas com os mesmos problemas e que, em muitos casos, os resolveram, pode ajudar bastante também no processo de adaptação à doença. Tem um formulário bem simples no blog para você compartilhar a sua história e se você já se animou em contar é só ir até lá 👉www.farmale.com.br , clicar na aba Conte Sua História. Você pode
compartilhar uma foto sua também! ✍Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. 
Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos.

#farmale #farmaleachoudii #doençadecrohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes  #farmaleempodera
Conte a Sua História é um espaço que podemos chamar de divã onde você pode desabafar escrevendo sobre as suas experiências, as dificuldades, as soluções que você descobriu, suas observações sobre a sua vida após o diagnóstico com a doença de Crohn ou a Retocolite Ulcerativa. Sigmund Freud, criador da Psicanálise, disse certa vez: “A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como são umas poucas palavras boas”. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. Tenha certeza que a sua história estará ajudando alguém, não importa se o enredo é triste ou feliz, a sua história é um relato de situações que podem ajudar outra pessoa que está se sentindo perdida e sozinha nessa jornada. A sua história pode ser um incentivo e inspiração para muitas pessoas! Uma terapia eficaz que beneficia muitas pessoas, inclusive você. Encontrar outras pessoas com os mesmos problemas e que, em muitos casos, os resolveram, pode ajudar bastante também no processo de adaptação à doença. Tem um formulário bem simples no blog para você compartilhar a sua história e se você já se animou em contar é só ir até lá 👉www.farmale.com.br , clicar na aba Conte Sua História. Você pode compartilhar uma foto sua também! ✍Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos. #farmale  #farmaleachoudii  #doençadecrohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera 
Confio que logo em breve estarei em remissão

Fui diagnosticada há 11 meses com retocolite ulcerativa.

Começou com muitas cólicas e dores do lado esquerdo da barriga abaixo da costela parecia até dores pélvicas que irradiava para as costas até então os médicos acharam que era virose por causa que tive diarreia constante de ir no banheiro mais de 20x, as fezes eram escuras e notei que tinha sangue ao notar ele saindo das fezes na água. Mas os médicos excluíram a virose depois de um mês de diarreias e dores e passou ao diagnóstico de pedras nos rins. Onde não tinha nada. Porém tinha muito sangramento na urina que só via por microscópio. Até então minha urina sair da cor da Coca cola e eles esqueceram das minhas diarreias e focaram nos rins e fizeram uma tomografia. E nada no rins. Até aí já havia se passado 3 meses de pura diarreia com muco sangue e dores. E meu convênio não resolvia nada. Até encontrar uma pessoa que soube do meu caso e me levou no hospital Heliópolis onde me encaixaram e hoje estou em tratamento.

Continuo com dores e diarreia mas consegui tratamento e medicamentos que aliás são muito caros onde eu comprava e melhorava e morreria de fome mas graças a Jeová consegui pelo governo no hospital Heliópolis. Não tenho ainda uma vida normal tive que sair do serviço por conta das vezes que eu ia ao banheiro e não conseguia trabalhar com dores. Mas confio que logo em breve vou estar em remissão já me internei e continuo indo sempre ao pronto socorro com diarreia e dores. E assim como essa pessoa me ajudou compartilho o meu problema com todas as pessoas pois quem sabe um dia posso ajudar alguém que esteja passando pelo mesmo que eu passei e não encontra saída. A doença não tem cura mais tem tratamento. Vamos todos juntos ajudar o próximo juntos contra essa doença cruel que se não tratada leva ao óbito.

Vamos nos conscientizar e divulgar!. Juntos somos mais fortes! Crohnistas da alegria! Maio roxo DII!

Meu nome é Aparecida Estrela, tenho 29 anos, moro em Mauá/SP, sou Gerente, tenho Retocolite Ulcerativa. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/estrela.gusman.5 ️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Confio que logo em breve estarei em remissão Fui diagnosticada há 11 meses com retocolite ulcerativa. Começou com muitas cólicas e dores do lado esquerdo da barriga abaixo da costela parecia até dores pélvicas que irradiava para as costas até então os médicos acharam que era virose por causa que tive diarreia constante de ir no banheiro mais de 20x, as fezes eram escuras e notei que tinha sangue ao notar ele saindo das fezes na água. Mas os médicos excluíram a virose depois de um mês de diarreias e dores e passou ao diagnóstico de pedras nos rins. Onde não tinha nada. Porém tinha muito sangramento na urina que só via por microscópio. Até então minha urina sair da cor da Coca cola e eles esqueceram das minhas diarreias e focaram nos rins e fizeram uma tomografia. E nada no rins. Até aí já havia se passado 3 meses de pura diarreia com muco sangue e dores. E meu convênio não resolvia nada. Até encontrar uma pessoa que soube do meu caso e me levou no hospital Heliópolis onde me encaixaram e hoje estou em tratamento. Continuo com dores e diarreia mas consegui tratamento e medicamentos que aliás são muito caros onde eu comprava e melhorava e morreria de fome mas graças a Jeová consegui pelo governo no hospital Heliópolis. Não tenho ainda uma vida normal tive que sair do serviço por conta das vezes que eu ia ao banheiro e não conseguia trabalhar com dores. Mas confio que logo em breve vou estar em remissão já me internei e continuo indo sempre ao pronto socorro com diarreia e dores. E assim como essa pessoa me ajudou compartilho o meu problema com todas as pessoas pois quem sabe um dia posso ajudar alguém que esteja passando pelo mesmo que eu passei e não encontra saída. A doença não tem cura mais tem tratamento. Vamos todos juntos ajudar o próximo juntos contra essa doença cruel que se não tratada leva ao óbito. Vamos nos conscientizar e divulgar!. Juntos somos mais fortes! Crohnistas da alegria! Maio roxo DII! Meu nome é Aparecida Estrela, tenho 29 anos, moro em Mauá/SP, sou Gerente, tenho Retocolite Ulcerativa. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/estrela.gusman.5 ️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor 💜. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
O dia em que minha vida parou

Oiii pessoas lindas. Me chamo Thialla tenho 27 anos, eu vivia normalmente, saudável...reclamava q não usava meu plano de saúde... (nunca mais faço isso). Em 2014 começou um desafio na minha vida.

Minha barriga começou a inchar e depois eu sentir muitas dores e tive q sair do interior para procurar ajuda na capital. Fui diagnosticada com apendicite: passei alguns meses no hospital sem melhora aparente... criei fistulas que não se fechavam. Tive alta voltei e fiz mais 2 cirurgias... Esse período foram 5 meses... de idas e vindas no hospital. Eu sempre relato esse momento como o dia em que minha vida parou. Eu sempre tive uma vida ativa, trabalho estudo etc. Ali eu me vi sem saber o que fazer e o que seria da minha vida já q eu não sabia o q eu tinha.

Definhei... eu pesava 65 kg fui para 49. Fiquei um ano com buracos na barriga não me sentia uma pessoa normal... porque saía liquido intestinal no meu abdome... e eu não ganhava peso... Até que em um dia bom... um dia feliz pq apesar de descobrir q eu tinha uma doença autoimune pra vida toda...eu finalmente saberia o q eu tinha para poder tratar corretamente. Fui diagnosticada com doença de Cronh em novembro de 2015... num estágio meio que grave da doença porque fiquei um ano sem tratamento porque não tive um diagnóstico. E ali sentir esperança de ter minha vida de volta sem buracos na barriga... sem me sentir estranha.

Comecei a tratar mais não tive muitos resultados pois meu intestino estava bem maltratadinho... A solução foi operar novamente e ai já se foram 4 cirurgias... Tive que fazer uma ileostomia, usar bolsa temporariamente... mas ia me livrar das fístulas isso era bom. Depois da cirurgia eu voltei a sentir vontade de comer (isso foi maravilhoso), me sentia com vida.

Eu não tive muito tempo de lamentar ter uma doença crônica, porque aprendi tanto com ela... Agradeço a Deus por me livrar de tantos sofrimentos passados e me dar a chance de viver apesar de ter passado grandes sustos.

Ainda vou fazer mais uma cirurgia para tirar a bolsa, mas confiante que o pior já passou.

E o que eu tenho a dizer pra vocês é:

CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
O dia em que minha vida parou Oiii pessoas lindas. Me chamo Thialla tenho 27 anos, eu vivia normalmente, saudável...reclamava q não usava meu plano de saúde... (nunca mais faço isso). Em 2014 começou um desafio na minha vida. Minha barriga começou a inchar e depois eu sentir muitas dores e tive q sair do interior para procurar ajuda na capital. Fui diagnosticada com apendicite: passei alguns meses no hospital sem melhora aparente... criei fistulas que não se fechavam. Tive alta voltei e fiz mais 2 cirurgias... Esse período foram 5 meses... de idas e vindas no hospital. Eu sempre relato esse momento como o dia em que minha vida parou. Eu sempre tive uma vida ativa, trabalho estudo etc. Ali eu me vi sem saber o que fazer e o que seria da minha vida já q eu não sabia o q eu tinha. Definhei... eu pesava 65 kg fui para 49. Fiquei um ano com buracos na barriga não me sentia uma pessoa normal... porque saía liquido intestinal no meu abdome... e eu não ganhava peso... Até que em um dia bom... um dia feliz pq apesar de descobrir q eu tinha uma doença autoimune pra vida toda...eu finalmente saberia o q eu tinha para poder tratar corretamente. Fui diagnosticada com doença de Cronh em novembro de 2015... num estágio meio que grave da doença porque fiquei um ano sem tratamento porque não tive um diagnóstico. E ali sentir esperança de ter minha vida de volta sem buracos na barriga... sem me sentir estranha. Comecei a tratar mais não tive muitos resultados pois meu intestino estava bem maltratadinho... A solução foi operar novamente e ai já se foram 4 cirurgias... Tive que fazer uma ileostomia, usar bolsa temporariamente... mas ia me livrar das fístulas isso era bom. Depois da cirurgia eu voltei a sentir vontade de comer (isso foi maravilhoso), me sentia com vida. Eu não tive muito tempo de lamentar ter uma doença crônica, porque aprendi tanto com ela... Agradeço a Deus por me livrar de tantos sofrimentos passados e me dar a chance de viver apesar de ter passado grandes sustos. Ainda vou fazer mais uma cirurgia para tirar a bolsa, mas confiante que o pior já passou. E o que eu tenho a dizer pra vocês é: CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
As DII (Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa) são doenças autoimunes, crônicas, sem cura, têm um grande impacto no bem estar e qualidade de vida das pessoas, da família e do seu círculo social. Provocam dores abdominais, sangramentos, fístulas, estenoses e alguns ainda sofrem com outros problemas extaintestinais, as famosas Manifestações Extarintestinais (MEI). Já escrevi aqui no blog sobre as MEI nesse link: www.farmale.com.br/2016/08/manifestacoes-extraintestinais-das.html.

O intestino é o foco, mas quando ocorrem as MEI, os órgãos mais afetados são a pele, articulações, olhos e fígado. 
São tantas as pedras que podem sugir no nosso caminho... A cura para a Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa ainda não existe, mas os tratamentos podem ajudar muito no controle dessas doenças e nos propiciar períodos de remissão. 
Alguns ainda não tiveram a oportunidade de experimentar a remissão, outros já experimentaram e podem ter muita esperança para compartilhar em palavras. 
Conte a Sua História é um espaço que gosto de chamar de divã onde você pode desabafar escrevendo sobre as suas experiências, as dificuldades, as soluções que você descobriu, suas observações sobre a sua vida após o diagnóstico com a doença de Crohn ou a Retocolite Ulcerativa. 
Sigmund Freud, criador da Psicanálise, disse certa vez: “A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como são umas poucas palavras boas”. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. 
Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. 
Expressar tranquiliza-a-dor. 
A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. 
Quando escrevemos ✍ sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
As DII (Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa) são doenças autoimunes, crônicas, sem cura, têm um grande impacto no bem estar e qualidade de vida das pessoas, da família e do seu círculo social. Provocam dores abdominais, sangramentos, fístulas, estenoses e alguns ainda sofrem com outros problemas extaintestinais, as famosas Manifestações Extarintestinais (MEI). Já escrevi aqui no blog sobre as MEI nesse link: www.farmale.com.br/2016/08/manifestacoes-extraintestinais-das.html. O intestino é o foco, mas quando ocorrem as MEI, os órgãos mais afetados são a pele, articulações, olhos e fígado. São tantas as pedras que podem sugir no nosso caminho... A cura para a Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa ainda não existe, mas os tratamentos podem ajudar muito no controle dessas doenças e nos propiciar períodos de remissão. Alguns ainda não tiveram a oportunidade de experimentar a remissão, outros já experimentaram e podem ter muita esperança para compartilhar em palavras. Conte a Sua História é um espaço que gosto de chamar de divã onde você pode desabafar escrevendo sobre as suas experiências, as dificuldades, as soluções que você descobriu, suas observações sobre a sua vida após o diagnóstico com a doença de Crohn ou a Retocolite Ulcerativa. Sigmund Freud, criador da Psicanálise, disse certa vez: “A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como são umas poucas palavras boas”. Tem hora que o sentimento e as emoções pedem para serem ditos, entendidos, traduzidos e então, escrevendo pode ajudar muito. Melhor mesmo seria buscar ajuda com um Psicólogo, mas nem sempre isso é possível. Experimente exorcizar os sentimentos ruins pela palavra. Expressar tranquiliza-a-dor. A sua história pode ajudar a diminuir o preconceito daqueles que sabem muito pouco sobre as DII, ou aprenderam de maneira errada sobre as DII. Quando escrevemos ✍ sobre as nossas experiências podemos perceber o quanto fomos forte e corajosos em algumas situações e assim, escrevendo, renovamos nossa força e coragem para o que vier. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Começou com sangramento

Começou com sangramento fui no médico ele pediu exame e disse que era retocolite ulcerativa, então fiquei fazendo tratamento cada dia piorava mais. Eu ia no consultório ele falava que eu estava bem fui perdendo peso diarreia direto, eu fazia na roupa, na rua. Começou a dar fístula no bumbum quase morri de dor e o sangramento não parava, eu ia definhando, não comida nem dormia tinha anemia e depressão. Fazia transfusão de sangue e nada, tinha infecções de urina recorrentes, comecei a inchar aí procurei o urologista. Ele pediu ultrassom dos rins, levei no médico pedindo a Deus que me mandasse um anjo, aí fui atendida pelo melhor urologista do hospital quando ele viu o ultrassom disse que meus rins podiam parar de funcionar e me internou, aí chamou outra médica e ela disse que eu precisava fazer cirurgia. Depois de um mês internada fiz a cirurgia, quando a médica cortou minha barriga meus órgãos estavam fora de lugar então depois disso eu uso bolsa de colostomia. Sofro com isso porque é difícil aceitar, apesar de que hoje eu vivo muito bem mais. Eu tenho 49 anos e queria muito refazer minha vida. Mas como quem aceitaria uma pessoa que usa bolsa de colostomia? Tomo Humira, azatioprina, remédio pra depressão e para dormir. Sou Valdete Silva, pode me chamar de Val, 49 anos, separada 3 filhos adultos e 2 netos, em plena vitalidade. Gostaria muito de fazer muitos amigos porque quem tem um amigo nunca está só. Beijo.

Meu nome é Valdete Silva, tenho 49 anos, moro em Franca/SP, sou Do Lar, tenho Retocolite Ulcerativa. 
Obrigada Valdete!💜 ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.💜 Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. 
Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos.

#farmaleachoudii #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExpressarTranquilizaADor #doençadecrohn #doençasinflamatoriasintestinais
Começou com sangramento Começou com sangramento fui no médico ele pediu exame e disse que era retocolite ulcerativa, então fiquei fazendo tratamento cada dia piorava mais. Eu ia no consultório ele falava que eu estava bem fui perdendo peso diarreia direto, eu fazia na roupa, na rua. Começou a dar fístula no bumbum quase morri de dor e o sangramento não parava, eu ia definhando, não comida nem dormia tinha anemia e depressão. Fazia transfusão de sangue e nada, tinha infecções de urina recorrentes, comecei a inchar aí procurei o urologista. Ele pediu ultrassom dos rins, levei no médico pedindo a Deus que me mandasse um anjo, aí fui atendida pelo melhor urologista do hospital quando ele viu o ultrassom disse que meus rins podiam parar de funcionar e me internou, aí chamou outra médica e ela disse que eu precisava fazer cirurgia. Depois de um mês internada fiz a cirurgia, quando a médica cortou minha barriga meus órgãos estavam fora de lugar então depois disso eu uso bolsa de colostomia. Sofro com isso porque é difícil aceitar, apesar de que hoje eu vivo muito bem mais. Eu tenho 49 anos e queria muito refazer minha vida. Mas como quem aceitaria uma pessoa que usa bolsa de colostomia? Tomo Humira, azatioprina, remédio pra depressão e para dormir. Sou Valdete Silva, pode me chamar de Val, 49 anos, separada 3 filhos adultos e 2 netos, em plena vitalidade. Gostaria muito de fazer muitos amigos porque quem tem um amigo nunca está só. Beijo. Meu nome é Valdete Silva, tenho 49 anos, moro em Franca/SP, sou Do Lar, tenho Retocolite Ulcerativa. Obrigada Valdete!💜 ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.💜 Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando em Conte Sua História. Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clicando em Depoimentos. #farmaleachoudii  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExpressarTranquilizaADor  #doençadecrohn  #doençasinflamatoriasintestinais 
Confesso que nem todos os dias são fáceis

Meu nome é Thamires, sou farmacêutica e recebi o diagnóstico de retocolite ulcerativa em setembro de 2015, após alguns meses sentindo muito inchaço e dor abdominal, muco e sangue nas fezes.

Desde então, venho fazendo tratamento e adequando meu estilo de vida para que assim eu pudesse CONVIVER com a doença. Conviver com a retocolite é mesmo uma incógnita... tem dias que você até esquece que ela existe, mas em alguns parece que ela faz questão de nos lembrar que está ali! Gosto de sempre postar e passar coisas boas no meu IG, mostrar que apesar de tantas limitações podemos sim ter uma vida ativa, fazer as coisas que gostamos, praticar atividade física e não fazer com que a alimentação se torne um castigo, mas sim uma aliada ao tratamento. Confesso que nem todos os dias são fáceis, que o desanimo vem... Mas daí eu lembro que já passei pelos sintomas da crise, os efeitos colaterais do corticoide, pela mudança na alimentação, pelo olhar atravessado de quem pensa que algumas atitudes e restrições são "frescura", e ainda to me adaptando, ainda to aprendendo a ouvir o meu corpo, descobrindo o que me faz mal, seja comida, sentimento, lugar ou pessoa (porque o psicológico também influencia e muito!), e o que fizer eu to cortando! Existem pessoas esperando o nosso melhor, que também nos motivam e que esperam de nós motivação, que nos incentivam a ir em frente, esperando que a gente VIVA...então vamos viver...a vida é como se fosse uma viajem e na bagagem só quero as coisas que me fazem bem, o resto vai ficando pra trás.

Meu nome é Thamires Scheffer, tenho 25 anos, moro em Torres/RS, sou Farmacêutica, tenho Retocolite Ulcerativa. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/thamy.scheffer. Conheçam meu Instagram 👉@thamyscheffer onde compartilho a minha vivência com a #RCU. ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.💜 Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando na aba Conte Sua História.

Para ler os depoimentos clique 👉www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos.

#farmaleachoudii #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExpressarTranquilizaADor
Confesso que nem todos os dias são fáceis Meu nome é Thamires, sou farmacêutica e recebi o diagnóstico de retocolite ulcerativa em setembro de 2015, após alguns meses sentindo muito inchaço e dor abdominal, muco e sangue nas fezes. Desde então, venho fazendo tratamento e adequando meu estilo de vida para que assim eu pudesse CONVIVER com a doença. Conviver com a retocolite é mesmo uma incógnita... tem dias que você até esquece que ela existe, mas em alguns parece que ela faz questão de nos lembrar que está ali! Gosto de sempre postar e passar coisas boas no meu IG, mostrar que apesar de tantas limitações podemos sim ter uma vida ativa, fazer as coisas que gostamos, praticar atividade física e não fazer com que a alimentação se torne um castigo, mas sim uma aliada ao tratamento. Confesso que nem todos os dias são fáceis, que o desanimo vem... Mas daí eu lembro que já passei pelos sintomas da crise, os efeitos colaterais do corticoide, pela mudança na alimentação, pelo olhar atravessado de quem pensa que algumas atitudes e restrições são "frescura", e ainda to me adaptando, ainda to aprendendo a ouvir o meu corpo, descobrindo o que me faz mal, seja comida, sentimento, lugar ou pessoa (porque o psicológico também influencia e muito!), e o que fizer eu to cortando! Existem pessoas esperando o nosso melhor, que também nos motivam e que esperam de nós motivação, que nos incentivam a ir em frente, esperando que a gente VIVA...então vamos viver...a vida é como se fosse uma viajem e na bagagem só quero as coisas que me fazem bem, o resto vai ficando pra trás. Meu nome é Thamires Scheffer, tenho 25 anos, moro em Torres/RS, sou Farmacêutica, tenho Retocolite Ulcerativa. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/thamy.scheffer. Conheçam meu Instagram 👉@thamyscheffer onde compartilho a minha vivência com a #RCU . ✍️Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.💜 Compartilhe a sua história 👉www.farmale.com.br clicando na aba Conte Sua História. Para ler os depoimentos clique 👉www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos. #farmaleachoudii  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExpressarTranquilizaADor 
Descobri minha doença Retocolite Ulcerativa (RCU) em 2011 iniciou com um sangramentro fui no medico e o diagnóstico foi imediato RCU crônica. Comecei a tomar mesalazina comprimidos e supositório para conter o sangramentro, mas em 2015 tive hemorragia fiquei internada duas vezes neste mesmo ano e mudaram minha medicação para azatioprina e mesalazina. Hoje me sinto um pouco melhor mas o sangramentro não para, tenho constante sangramento e depende do que eu como passo muito mal com fortes dores. Acredito que um dia eu possa experimentar da famosa e tão sonhada  remissão. Um forte abraço a todos.

Meu nome é Vanessa Greggio, tenho 33 anos, moro em Gorgo Al Monticano/Itália, sou Operária, tenho Retocolite Ulcerativa. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/edno.ribeirodasilva ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Para compartilhar a sua história 👉www.farmale.com.br clique na aba Conte Sua História.

Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clique na aba Depoimentos.

Obrigada Vanessa💜

#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Descobri minha doença Retocolite Ulcerativa (RCU) em 2011 iniciou com um sangramentro fui no medico e o diagnóstico foi imediato RCU crônica. Comecei a tomar mesalazina comprimidos e supositório para conter o sangramentro, mas em 2015 tive hemorragia fiquei internada duas vezes neste mesmo ano e mudaram minha medicação para azatioprina e mesalazina. Hoje me sinto um pouco melhor mas o sangramentro não para, tenho constante sangramento e depende do que eu como passo muito mal com fortes dores. Acredito que um dia eu possa experimentar da famosa e tão sonhada remissão. Um forte abraço a todos. Meu nome é Vanessa Greggio, tenho 33 anos, moro em Gorgo Al Monticano/Itália, sou Operária, tenho Retocolite Ulcerativa. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/edno.ribeirodasilva ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história 👉www.farmale.com.br clique na aba Conte Sua História. Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br clique na aba Depoimentos. Obrigada Vanessa💜 #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Conhecer a verdade sobre o câncer colorretal é a única maneira de derrubar os muitos mitos que cercam esta doença. 
Fato: rastreamento e detecção precoce do câncer colorretal salva vidas. 
Este conhecimento pode ajudar a salvar sua vida ou a vida de alguém que você ama.

Mito: O câncer colorretal afeta somente idosos 
Apesar de ser mais comumente diagnosticado em indivíduos com mais de 50 anos de idade, muitos adultos jovens também são diagnosticados com câncer colorretal anualmente. Você não pode controlar a sua idade, mas pode se conscientizar sobre o câncer colorretal e fazer mudanças na sua vida para reduzir o risco d a doença.

Mito: Ninguém na minha família teve câncer colorretal logo eu não vou ter

A maioria das pessoas diagnosticadas com câncer colorretal não tem um histórico familiar da doença. Se você tem um irmão, pai ou outro parente próximo que tem história de câncer colorretal ou de pólipos, isso pode aumentar seu risco de ter câncer colorretal, mas não é um pré-requisito para a doença.

Mito: Fumar não afeta meu Intestino

Na verdade, fumar aumenta o risco de 17 tipos diferentes de câncer, incluindo o câncer colorretal. A dica é: pare de fumar agora e seu risco diminuirá gradualmente ao longo do tempo. Um estudo da American Cancer Society (Sociedade Americana de Câncer), de 2009, observou uma relação causal entre os anos de tabagismo e o risco de câncer colorretal. Basicamente, quanto mais você fuma, maior o risco e vice-versa.

Mito: Sem sintomas = Sem câncer

O câncer colorretal é frequentemente diagnosticado durante uma colonoscopia de rotina ou em exames de rastreamento, sem que haja quaisquer sintomas de câncer presentes. A existência de sintomas, como sangue nas fezes, perda de peso ou cansaço, indicam que a doença pode estar já em estágio avançado. O câncer colorretal é mais bem tratado em seus estágios iniciais. Então, não perca tempo faça os exames de rastreamento antes dos sintomas aparecerem.

Mito: O câncer colorretal é uma doença das pessoas com sobrepeso

CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Conhecer a verdade sobre o câncer colorretal é a única maneira de derrubar os muitos mitos que cercam esta doença. Fato: rastreamento e detecção precoce do câncer colorretal salva vidas. Este conhecimento pode ajudar a salvar sua vida ou a vida de alguém que você ama. Mito: O câncer colorretal afeta somente idosos Apesar de ser mais comumente diagnosticado em indivíduos com mais de 50 anos de idade, muitos adultos jovens também são diagnosticados com câncer colorretal anualmente. Você não pode controlar a sua idade, mas pode se conscientizar sobre o câncer colorretal e fazer mudanças na sua vida para reduzir o risco d a doença. Mito: Ninguém na minha família teve câncer colorretal logo eu não vou ter A maioria das pessoas diagnosticadas com câncer colorretal não tem um histórico familiar da doença. Se você tem um irmão, pai ou outro parente próximo que tem história de câncer colorretal ou de pólipos, isso pode aumentar seu risco de ter câncer colorretal, mas não é um pré-requisito para a doença. Mito: Fumar não afeta meu Intestino Na verdade, fumar aumenta o risco de 17 tipos diferentes de câncer, incluindo o câncer colorretal. A dica é: pare de fumar agora e seu risco diminuirá gradualmente ao longo do tempo. Um estudo da American Cancer Society (Sociedade Americana de Câncer), de 2009, observou uma relação causal entre os anos de tabagismo e o risco de câncer colorretal. Basicamente, quanto mais você fuma, maior o risco e vice-versa. Mito: Sem sintomas = Sem câncer O câncer colorretal é frequentemente diagnosticado durante uma colonoscopia de rotina ou em exames de rastreamento, sem que haja quaisquer sintomas de câncer presentes. A existência de sintomas, como sangue nas fezes, perda de peso ou cansaço, indicam que a doença pode estar já em estágio avançado. O câncer colorretal é mais bem tratado em seus estágios iniciais. Então, não perca tempo faça os exames de rastreamento antes dos sintomas aparecerem. Mito: O câncer colorretal é uma doença das pessoas com sobrepeso CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Olá pessoal!!! Eu sou Andressa e trato doença de Cronh à quase 5 anos e neste período apareceu fístulas perianais e vaginais fui submetida à 12 cirurgias de limpeza e hoje tem 15 dias da última que fiz... Noticia boa... Tirei outro dreno agora estou com um pois estive com 3 drenos ao redor dos genitais por anos. Sofrimentos dores corridas ao banheiro perda de fezes... Só quem passa entende. Em torno de 15 à 20 vezes durante o dia e à noite entre 4 à 5 vezes. Qndo não tinha nada pra sair saia apenas muco e muita dor.
Fiz uso de todos os medicamentos possíveis e sem sucesso. O corticoide por um tempo me ajudou depois não mais... Passando disso fui pro biológico infliximabe onde usei por 2 anos e meio e as fístulas só aumentava foi ai que descobri o transplante (2015) em São José do Rio Preto na clínica Dr Kaise e Dr Milton uns amores verdadeiros anjos que me indicaram o humira 15/15 dias uma ampola antes de fazer o transplante mas em dois meses de uso já fechou uma fístula e sendo retirado um dreno. Eu moro no Rio Grande do Sul sendo assim esperei e não voltei pra fazer o transplante também por motivos financeiros e visto a melhora esperei. 
E em junho de 2016 Conheci um naturopata de Manaus e desde então sigo o protocolo de alimentação saudável; confesso que comecei duvidosa pois o sofrimento frustra muito a gente. Bom o que quero dizer com isso que na primeira semana de tratamento natural já sessaram as dores e a diarréia junto. Claro que as fezes continua pastosa mas o tratamento é apenas substituir os industrializados por naturais suco verde pela manhã e cuidados básicos e simples. Por motivo do governo fiquei sem a injeção e adivinha... As dores não voltaram. As idas ao banheiro passou para no máximo 4/5 vezes ao dia e à noite nem acordo. Contrariando meu médico de Porto Alegre que insiste em dizer que a doença está ativa  eu prefiro acreditar naquilo que sinto. Estou bem graças à Deus primeiramente porque ele nos apresenta pessoas que nos ajudam e nos fortalece. Rumo à remissão. Espero por mais notícias boas para voltar a relatar para vocês.  CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Olá pessoal!!! Eu sou Andressa e trato doença de Cronh à quase 5 anos e neste período apareceu fístulas perianais e vaginais fui submetida à 12 cirurgias de limpeza e hoje tem 15 dias da última que fiz... Noticia boa... Tirei outro dreno agora estou com um pois estive com 3 drenos ao redor dos genitais por anos. Sofrimentos dores corridas ao banheiro perda de fezes... Só quem passa entende. Em torno de 15 à 20 vezes durante o dia e à noite entre 4 à 5 vezes. Qndo não tinha nada pra sair saia apenas muco e muita dor. Fiz uso de todos os medicamentos possíveis e sem sucesso. O corticoide por um tempo me ajudou depois não mais... Passando disso fui pro biológico infliximabe onde usei por 2 anos e meio e as fístulas só aumentava foi ai que descobri o transplante (2015) em São José do Rio Preto na clínica Dr Kaise e Dr Milton uns amores verdadeiros anjos que me indicaram o humira 15/15 dias uma ampola antes de fazer o transplante mas em dois meses de uso já fechou uma fístula e sendo retirado um dreno. Eu moro no Rio Grande do Sul sendo assim esperei e não voltei pra fazer o transplante também por motivos financeiros e visto a melhora esperei. E em junho de 2016 Conheci um naturopata de Manaus e desde então sigo o protocolo de alimentação saudável; confesso que comecei duvidosa pois o sofrimento frustra muito a gente. Bom o que quero dizer com isso que na primeira semana de tratamento natural já sessaram as dores e a diarréia junto. Claro que as fezes continua pastosa mas o tratamento é apenas substituir os industrializados por naturais suco verde pela manhã e cuidados básicos e simples. Por motivo do governo fiquei sem a injeção e adivinha... As dores não voltaram. As idas ao banheiro passou para no máximo 4/5 vezes ao dia e à noite nem acordo. Contrariando meu médico de Porto Alegre que insiste em dizer que a doença está ativa eu prefiro acreditar naquilo que sinto. Estou bem graças à Deus primeiramente porque ele nos apresenta pessoas que nos ajudam e nos fortalece. Rumo à remissão. Espero por mais notícias boas para voltar a relatar para vocês.  CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Saber que a doença não tem cura é assustador

Maio Roxo! Seja Bem Vindo! Convivendo com DII. Em janeiro de 2014 depois de um mês sentindo dor abdominal aguda e um quadro de abdome distendido procurei um gastro que me pediu uma ultrassonografia, o resultado foi ascite entre as alças intestinais, com esse resultado o médico me encaminhou para o cirurgião, com muito sacrifício (pelo SUS) encontrei uma vaga de internação no Hospital Universitário Clemente Farias, nesse momento as dores, diarréias com sangue, vômitos estavam insuportáveis, logo na manhã seguinte o cirurgião pediu para repetir o pus , nesse exame o liquido já havia extravasado e estava causando infecção nos demais órgãos da cavidade abdominal. Não deu outra, uma laparotomia de urgência, nessa cirurgia foi retirado mais de 3 litros desse líquido infeccioso, fez-se então uma ressecção do intestino, fiquei usando sonda nasogastrica, bolsa e um dreno pós cirúrgico, não foi fácil. Depois de mais de 20 dias internada tive alta e fui acompanhada de perto por um bom médico, Dr. Alexandre Viana Reis, logo em seguida fiz colonoscopia e uma entero-tC , que concluiu o diagnostico de Doença de Crohn, outra bomba já que na época eu tinha 20 anos e saber que a doença não tem cura é assustador. 
Graças a Deus aprendi a conviver com os desconfortos abdominais, e faço uso de Azatioprina 50 mg. Adquiri novos hábitos alimentares, e hoje tenho uma vida normal, pratico esporte, faço academia, me formei em Gestão Pública, trabalho normalmente  e como Deus tem um propósito na nossa vida , quando estava internada conheci um enfermeiro, logo me apaixonei por ele, ficamos amigos e começamos a namorar, e em Novembro de 2016 nos casamos ( nem tudo foi ruim NE?! RS). Não é fácil conviver com uma DII, mas não é impossível, tenha perseverança, cuide da alimentação tome os medicamentos pontualmente, se necessário procure ajuda com psicologo, e seja muito, mas muito feliz!

Meu nome é Roberta, tenho 24 anos, moro em Montes Claro/MG, sou Auxiliar Administrativo, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/roberta.fialho.75 e no Instagram: @fialho_roberta

CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Saber que a doença não tem cura é assustador Maio Roxo! Seja Bem Vindo! Convivendo com DII. Em janeiro de 2014 depois de um mês sentindo dor abdominal aguda e um quadro de abdome distendido procurei um gastro que me pediu uma ultrassonografia, o resultado foi ascite entre as alças intestinais, com esse resultado o médico me encaminhou para o cirurgião, com muito sacrifício (pelo SUS) encontrei uma vaga de internação no Hospital Universitário Clemente Farias, nesse momento as dores, diarréias com sangue, vômitos estavam insuportáveis, logo na manhã seguinte o cirurgião pediu para repetir o pus , nesse exame o liquido já havia extravasado e estava causando infecção nos demais órgãos da cavidade abdominal. Não deu outra, uma laparotomia de urgência, nessa cirurgia foi retirado mais de 3 litros desse líquido infeccioso, fez-se então uma ressecção do intestino, fiquei usando sonda nasogastrica, bolsa e um dreno pós cirúrgico, não foi fácil. Depois de mais de 20 dias internada tive alta e fui acompanhada de perto por um bom médico, Dr. Alexandre Viana Reis, logo em seguida fiz colonoscopia e uma entero-tC , que concluiu o diagnostico de Doença de Crohn, outra bomba já que na época eu tinha 20 anos e saber que a doença não tem cura é assustador. Graças a Deus aprendi a conviver com os desconfortos abdominais, e faço uso de Azatioprina 50 mg. Adquiri novos hábitos alimentares, e hoje tenho uma vida normal, pratico esporte, faço academia, me formei em Gestão Pública, trabalho normalmente e como Deus tem um propósito na nossa vida , quando estava internada conheci um enfermeiro, logo me apaixonei por ele, ficamos amigos e começamos a namorar, e em Novembro de 2016 nos casamos ( nem tudo foi ruim NE?! RS). Não é fácil conviver com uma DII, mas não é impossível, tenha perseverança, cuide da alimentação tome os medicamentos pontualmente, se necessário procure ajuda com psicologo, e seja muito, mas muito feliz! Meu nome é Roberta, tenho 24 anos, moro em Montes Claro/MG, sou Auxiliar Administrativo, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/roberta.fialho.75 e no Instagram: @fialho_roberta CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Desde criança tive problemas abdominais

Desde criança tive problemas abdominais. Com 2 anos de idade uma médica sugeriu alergia à proteína do leite de vaca, mas não melhorou muito com a restrição do leite. Ainda nesta idade, eu tinha infecções recorrentes, principalmente estomatites e tantas aftas que eu passava dias sem comer e com febre. Fiz tratamento para a imunidade aumentar, mas não melhorou. Durante a adolescência (15 anos de idade) comecei, diariamente, a sentir desconfortos abdominais e comecei a ter crises de vômito e diarréia, chegando a perder 10 kg em 1 mês (durante um intercâmbio que eu fiz). Aos 16 anos resolvi procurar ajuda médica, pois os episódios de dor (que se confundiam com apendicite, pois a minha dor é localizada principalmente na região inferior direita do abdomen) só aumentavam, assim como as crises de diarréia, agora acompanhadas de sangue e muco.

Fui diagnosticada à priori, com doença celíaca e intolerância à lactose, após um resultado "inconclusivo" na biópsia endoscopia digestiva alta e uma gastrite de antro sem H. Pilóri.

Fiz a restrição total de glúten e lactose por 2 anos e meia e tive uma piora grande nos quadros de dor e crises de diarréia, indo mais de 20x por dia no banheiro, defecando sangue e muco. Procurei, então, uma especialista em doença celíaca que realizou o exame com a marcação genética para a doença e o resultado veio negativo. Não era doença celíaca, mas meu diagnóstico voltou a ser aberto.

Muitos amigos e até alguns familiares me chamavam de louca e falavam que eu estava querendo chamar atenção, ou que talvez eu fosse hipocondríaca porque ninguém sabia como era sentir as dores que eu sentia diariamente. Minha família mais próxima (graças a Deus) ficou ao meu lado e começou comigo, a caçar algum médico que diagnosticasse minha doença.

Após 6 meses de procura, indo em todos os tipos de médico (inclusive em um que riu na minha cara com outro médico no telefone sobre o fato de eu ter diarréia crônica) cansei de procurar. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Desde criança tive problemas abdominais Desde criança tive problemas abdominais. Com 2 anos de idade uma médica sugeriu alergia à proteína do leite de vaca, mas não melhorou muito com a restrição do leite. Ainda nesta idade, eu tinha infecções recorrentes, principalmente estomatites e tantas aftas que eu passava dias sem comer e com febre. Fiz tratamento para a imunidade aumentar, mas não melhorou. Durante a adolescência (15 anos de idade) comecei, diariamente, a sentir desconfortos abdominais e comecei a ter crises de vômito e diarréia, chegando a perder 10 kg em 1 mês (durante um intercâmbio que eu fiz). Aos 16 anos resolvi procurar ajuda médica, pois os episódios de dor (que se confundiam com apendicite, pois a minha dor é localizada principalmente na região inferior direita do abdomen) só aumentavam, assim como as crises de diarréia, agora acompanhadas de sangue e muco. Fui diagnosticada à priori, com doença celíaca e intolerância à lactose, após um resultado "inconclusivo" na biópsia endoscopia digestiva alta e uma gastrite de antro sem H. Pilóri. Fiz a restrição total de glúten e lactose por 2 anos e meia e tive uma piora grande nos quadros de dor e crises de diarréia, indo mais de 20x por dia no banheiro, defecando sangue e muco. Procurei, então, uma especialista em doença celíaca que realizou o exame com a marcação genética para a doença e o resultado veio negativo. Não era doença celíaca, mas meu diagnóstico voltou a ser aberto. Muitos amigos e até alguns familiares me chamavam de louca e falavam que eu estava querendo chamar atenção, ou que talvez eu fosse hipocondríaca porque ninguém sabia como era sentir as dores que eu sentia diariamente. Minha família mais próxima (graças a Deus) ficou ao meu lado e começou comigo, a caçar algum médico que diagnosticasse minha doença. Após 6 meses de procura, indo em todos os tipos de médico (inclusive em um que riu na minha cara com outro médico no telefone sobre o fato de eu ter diarréia crônica) cansei de procurar. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Fui diagnosticada com Doença de Crohn aos 14 anos. Havia acabado de perder minha avó a quem muito amava. E também uma cadelinha que era extremamente importante para mim. Meu pai havia acabado de ser diagnosticado com Mal de Alzheimer. Tinha 52 anos e era médico.  Comecei a sentir muitas dores ao me alimentar e assim fui deixando de comer e sempre que ia ao banheiro sentia fortes dores ao evacuar e saía muito sangue. Nesta época, já contava com 37 kg. Durante algum tempo, escondi os sintomas dos meus pais, devido ao problema que estavam enfrentando com o diagnóstico de meu pai. Até que um dia, ao ir ao banheiro e sentir fortes dores e muito sangue, relatei o problema ao meu pai, que ainda conseguia resolver as situações. Imediatamente, ele me levou a uma amiga, Coloproctologista, que depois de vários exames, diagnosticou a Doença de Crohn. Na época, década de 90, tomei mais de 20 tipos de remédios e alguns tinham que ser introduzidos no ânus pois a doença se localizava na parte final do reto junto com o ânus.  Foi muito difícil na época lhe dar com isso... Não conseguia sentar e tinha muitas dores. Via meus amigos em plena adolescência, estudando,  saindo e eu estacionei. Porém, graças à Deus,  não perdi o ano na escola,  cursava o segundo ano do ensino médio no Colégio WR e como tenho uma irmã gêmea e estudávamos na mesma sala, eu não frequentava as aulas, mas ela me passava a matéria e eu fazia as provas. Hoje, conto com 20 anos de doença e trato com o infliximabe, estou em remissão, apesar de perder peso com muita facilidade, é só passar por um estresse maior. Rs... Exerço minha profissão e ajudo com os cuidados com meu pai que também completou 20 anos de Alzheimer e está na fase final da doença.

Peço a Deus todos os dias forças para enfrentar essa situação e essa provável perda.... Forças para ajudar minha mãe que atualmente vive muito em função dele... Tenho uma linda filha de 13 anos que me motiva a cada dia a seguir em frente nesta caminhada... CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Fui diagnosticada com Doença de Crohn aos 14 anos. Havia acabado de perder minha avó a quem muito amava. E também uma cadelinha que era extremamente importante para mim. Meu pai havia acabado de ser diagnosticado com Mal de Alzheimer. Tinha 52 anos e era médico. Comecei a sentir muitas dores ao me alimentar e assim fui deixando de comer e sempre que ia ao banheiro sentia fortes dores ao evacuar e saía muito sangue. Nesta época, já contava com 37 kg. Durante algum tempo, escondi os sintomas dos meus pais, devido ao problema que estavam enfrentando com o diagnóstico de meu pai. Até que um dia, ao ir ao banheiro e sentir fortes dores e muito sangue, relatei o problema ao meu pai, que ainda conseguia resolver as situações. Imediatamente, ele me levou a uma amiga, Coloproctologista, que depois de vários exames, diagnosticou a Doença de Crohn. Na época, década de 90, tomei mais de 20 tipos de remédios e alguns tinham que ser introduzidos no ânus pois a doença se localizava na parte final do reto junto com o ânus. Foi muito difícil na época lhe dar com isso... Não conseguia sentar e tinha muitas dores. Via meus amigos em plena adolescência, estudando, saindo e eu estacionei. Porém, graças à Deus, não perdi o ano na escola, cursava o segundo ano do ensino médio no Colégio WR e como tenho uma irmã gêmea e estudávamos na mesma sala, eu não frequentava as aulas, mas ela me passava a matéria e eu fazia as provas. Hoje, conto com 20 anos de doença e trato com o infliximabe, estou em remissão, apesar de perder peso com muita facilidade, é só passar por um estresse maior. Rs... Exerço minha profissão e ajudo com os cuidados com meu pai que também completou 20 anos de Alzheimer e está na fase final da doença. Peço a Deus todos os dias forças para enfrentar essa situação e essa provável perda.... Forças para ajudar minha mãe que atualmente vive muito em função dele... Tenho uma linda filha de 13 anos que me motiva a cada dia a seguir em frente nesta caminhada... CONTINUA NOS COMENTÁRIOS👇
Oi, me chamo Marina, sou de Criciúma - SC (Sul do Estado). Fui diagnosticada com Doença de Crohn em Julho/Agosto de 2015. Em agosto fui internada a primeira em decorrência de fortes dores abdominais, fiquei dois dias no hospital e fui liberada. Novamente, em outubro de 2015 fui internada, por uma infecção no rim esquerdo, fiquei mais três dias internada e após ganhei alta. Após a alta comecei a sentir dores na sola dos pés e a dor começou a subir para a perna. Até que fui ao meu médico e ele me receitou corticoide. E a dor foi para os ombros também, foi horrível era uma dor insuportável. Mas após a aplicação de corticoide na veia e via oral (40mg por dia) eu fui melhorando e comecei a ter uma vida quase normal. Em dezembro eu comecei a fazer a primeira tentativa de parar. Não deu certo voltei a ter crises e dores na articulação e comecei a tomar azatioprina também. 03 comprimidos por dia. Em fevereiro de 2016 comecei a fazer minha primeira aplicação de Infliximab. No começo ela seria a cada 8 semanas. Mas como estava com crise, meu médico diminuiu ela para 4 semanas. Em maio comecei minha segunda tentativa de desmame do Corticoide novamente. Fiquei duas semanas sem, mas sentindo novamente dores/cólicas no abdome. Em agosto já com as doses de infliximabe fazendo efeito, eu comecei, pela terceira e última vez a tentativa de desmame do corticoide. E deu certo em outubro me livrei dele (Graças a Deus) estava com o rosto redondo. Após uma terceira colonoscopia, consegui reduzir também um comprimido de azatioprina. Sendo que agora tomo dois.
Hoje levo uma vida praticamente normal. Durmo a noite inteira. Faço minhas aplicações a cada 4 semanas, tomo dois comprimidos de azatioprina por dia. E tenho vida social. Tenho certeza que quem está passando por dificuldades pode ter certeza que daqui a pouco vai melhorar, é só ter Fé.
Beijinhos Marina.
Meu nome é Marina Amboni  Marcelino Silvestrini, tenho 28 anos, moro em Criciúma/SC, sou Administradora/RH, tenho Doença de Crohn. Minha redes sociais:
👉Facebook: @marinaambonimarcelinosilvestrini
👉Facebook: @doencadecrohncoliteulcerativa
👉Instagram: @marinaamboni
👉Instagram: @doencadecrohn_retocolite

#FarmaleConteASuaHistoria
Oi, me chamo Marina, sou de Criciúma - SC (Sul do Estado). Fui diagnosticada com Doença de Crohn em Julho/Agosto de 2015. Em agosto fui internada a primeira em decorrência de fortes dores abdominais, fiquei dois dias no hospital e fui liberada. Novamente, em outubro de 2015 fui internada, por uma infecção no rim esquerdo, fiquei mais três dias internada e após ganhei alta. Após a alta comecei a sentir dores na sola dos pés e a dor começou a subir para a perna. Até que fui ao meu médico e ele me receitou corticoide. E a dor foi para os ombros também, foi horrível era uma dor insuportável. Mas após a aplicação de corticoide na veia e via oral (40mg por dia) eu fui melhorando e comecei a ter uma vida quase normal. Em dezembro eu comecei a fazer a primeira tentativa de parar. Não deu certo voltei a ter crises e dores na articulação e comecei a tomar azatioprina também. 03 comprimidos por dia. Em fevereiro de 2016 comecei a fazer minha primeira aplicação de Infliximab. No começo ela seria a cada 8 semanas. Mas como estava com crise, meu médico diminuiu ela para 4 semanas. Em maio comecei minha segunda tentativa de desmame do Corticoide novamente. Fiquei duas semanas sem, mas sentindo novamente dores/cólicas no abdome. Em agosto já com as doses de infliximabe fazendo efeito, eu comecei, pela terceira e última vez a tentativa de desmame do corticoide. E deu certo em outubro me livrei dele (Graças a Deus) estava com o rosto redondo. Após uma terceira colonoscopia, consegui reduzir também um comprimido de azatioprina. Sendo que agora tomo dois. Hoje levo uma vida praticamente normal. Durmo a noite inteira. Faço minhas aplicações a cada 4 semanas, tomo dois comprimidos de azatioprina por dia. E tenho vida social. Tenho certeza que quem está passando por dificuldades pode ter certeza que daqui a pouco vai melhorar, é só ter Fé. Beijinhos Marina. Meu nome é Marina Amboni Marcelino Silvestrini, tenho 28 anos, moro em Criciúma/SC, sou Administradora/RH, tenho Doença de Crohn. Minha redes sociais: 👉Facebook: @marinaambonimarcelinosilvestrini 👉Facebook: @doencadecrohncoliteulcerativa 👉Instagram: @marinaamboni 👉Instagram: @doencadecrohn_retocolite #FarmaleConteASuaHistoria 
Não podemos perder a fé em nós e no tratamento

Olá gente! Sou do Rio de janeiro, sou católico, tenho 32 anos e trabalho na área de logística. 
Minha vida inteira com dor abdominal e diarreia, muitas internações. Em 2012 fezes com sangue e uma fístula anal. Retirei a vesícula em 2012. 2013 retirei a fístula anal.  É uma cirurgia simples, porém, de uma recuperação muito lenta e dolorosa. Em 2015 fiz a primeira colonoscopia e tirei um pólipo de 2cm, depois a enterectomia , retirei 20cm do delgado por uma obstrução total. Foi nesse momento que descobri o Crohn. Eu pesava uns 45 a 50kg. Era bem magrelo e agora estou com 68kg, um magro normal e bem de saúde. Minha maior dificuldade era me adaptar com a alimentação e o meu emocional. Eu reajo muito com o emocional. Se eu me estressar o intestino logo avisa que vou precisar de um banheiro. Eu sofro muito com essa questão de banheiro, na praia eu prefiro ficar perto do posto, justamente para chegar rápido no banheiro. Hoje depois do infliximabe e azatioprina melhorou muito essa questão de diarreia, mas eu ainda passo por umas situações constrangedoras. Eu me sinto bem na maior parte do tempo, por isso eu acredito que não podemos perder a fé em nós e no tratamento. A parte ruim é que as pessoas acham que é frescura sua, a parte boa é que o tratamento tanto medicamentos quanto psicológico está dando certo, e isso é o que importa.

Estou aqui para aprender mais sobre minha doença, compartilhar meus momentos bons e ruins e também fazer amizades. Que Deus nos ajude a passar com tranquilidade por essa luta diária. Amém!

Meu nome é Leandro Pereira, mas podem me chamar de Lê, tenho 32 anos, moro no Rio de Janeiro/RJ, sou Assistente Administrativo, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Instagram: @ leandropereira7779

Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Compartilhe a sua história ⇒  www.farmale.com.br clicando na aba Conte Sua História 
#MaioRoxo2017 #ibdawareness
#farmale #farmaleachoudii #doençadecrohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntos
Não podemos perder a fé em nós e no tratamento Olá gente! Sou do Rio de janeiro, sou católico, tenho 32 anos e trabalho na área de logística. Minha vida inteira com dor abdominal e diarreia, muitas internações. Em 2012 fezes com sangue e uma fístula anal. Retirei a vesícula em 2012. 2013 retirei a fístula anal.  É uma cirurgia simples, porém, de uma recuperação muito lenta e dolorosa. Em 2015 fiz a primeira colonoscopia e tirei um pólipo de 2cm, depois a enterectomia , retirei 20cm do delgado por uma obstrução total. Foi nesse momento que descobri o Crohn. Eu pesava uns 45 a 50kg. Era bem magrelo e agora estou com 68kg, um magro normal e bem de saúde. Minha maior dificuldade era me adaptar com a alimentação e o meu emocional. Eu reajo muito com o emocional. Se eu me estressar o intestino logo avisa que vou precisar de um banheiro. Eu sofro muito com essa questão de banheiro, na praia eu prefiro ficar perto do posto, justamente para chegar rápido no banheiro. Hoje depois do infliximabe e azatioprina melhorou muito essa questão de diarreia, mas eu ainda passo por umas situações constrangedoras. Eu me sinto bem na maior parte do tempo, por isso eu acredito que não podemos perder a fé em nós e no tratamento. A parte ruim é que as pessoas acham que é frescura sua, a parte boa é que o tratamento tanto medicamentos quanto psicológico está dando certo, e isso é o que importa. Estou aqui para aprender mais sobre minha doença, compartilhar meus momentos bons e ruins e também fazer amizades. Que Deus nos ajude a passar com tranquilidade por essa luta diária. Amém! Meu nome é Leandro Pereira, mas podem me chamar de Lê, tenho 32 anos, moro no Rio de Janeiro/RJ, sou Assistente Administrativo, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Instagram: @ leandropereira7779 Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Compartilhe a sua história ⇒  www.farmale.com.br clicando na aba Conte Sua História #MaioRoxo2017  #ibdawareness  #farmale  #farmaleachoudii  #doençadecrohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntos 
Maio é o mês de Conscientização Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais - Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa! Pelo mundo todo ocorrem ações para divulgar, informar e apoiar portadores e familiares sobre essas doenças.

Já estou recebendo mais depoimentos de pessoas que se senbilizaram com a causa, de pessoas que te consciência de que juntos somos mais fortes! 
Espero receber muito mais depoimentos! Vamos participar compartilhando nossa vivência com as DII! Vamos contribuir com a conscientização e sair da invisibilidade! ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Para compartilhar a sua história ☛www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html ☛Ou clique na aba Conte Sua História no blog

Para ler os depoimentos
☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria ☛Ou clique na aba Depoimentos no blog www.farmale.com.br

Links para mudar a foto do perfil: ✔https://twibbon.com/support/world-ibd-day-alemdii ✔https://twibbon.com/support/world-ibd-day-2017

Curta a página do meu blog ☛ www.facebook.com/FarmaleAchou 
#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes #maioroxo2017 #ibdawareness #maioroxo #conscientizardii
Maio é o mês de Conscientização Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais - Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa! Pelo mundo todo ocorrem ações para divulgar, informar e apoiar portadores e familiares sobre essas doenças. Já estou recebendo mais depoimentos de pessoas que se senbilizaram com a causa, de pessoas que te consciência de que juntos somos mais fortes! Espero receber muito mais depoimentos! Vamos participar compartilhando nossa vivência com as DII! Vamos contribuir com a conscientização e sair da invisibilidade! ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história ☛www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html ☛Ou clique na aba Conte Sua História no blog Para ler os depoimentos ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria ☛Ou clique na aba Depoimentos no blog www.farmale.com.br Links para mudar a foto do perfil: ✔https://twibbon.com/support/world-ibd-day-alemdii ✔https://twibbon.com/support/world-ibd-day-2017 Curta a página do meu blog ☛ www.facebook.com/FarmaleAchou #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes  #maioroxo2017  #ibdawareness  #maioroxo  #conscientizardii 
@Regrann from @farmale -  Para contar a sua história☛www.farmale.com.br clique em Conte Sua História.
Para ler os depoimentos☛www.farmale.com.br clique em Depoimentos #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes - #regrann
Maio chegou! Mês importante para quem luta por melhoria da qualidade de vida, pela visibilidade, pelos direitos ao tratamento com dignidade! Para quem luta todos os dias em busca da remissão! E quem está em remissão também tem sua luta, em manter o tratamento em dia para que a remissão seja longa!
Maio é o mês de Conscientização Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais - Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa! Pelo mundo todo ocorrem ações para divulgar, informar e apoiar portadores e familiares sobre essas doenças. 
O ativismo é intenso nesse mês! Os voluntários, que em sua maioria são portadores, são incansáveis nesse trabalho de conscietização em busca da visibilidade! 
É um mês para criar e fortalecer laços entre os irmãos intestinais! <3 ;-) Os depoimentos que recebo são uma peça importante nesse ativismo! Fazem parte da conscientização! São relatos reais sobre o quanto essas doenças podem ser incapacitantes. São relatos sobre o descaso do governo! Quantos aqui dependem do SUS para manter o tratamento? Nossas medicações são de alto custo! São medicações de USO CONTÍNUO e quando o tratamento não consegue ser contínuo, esses pacientes têm grande piora dos sintomas, agravamento da doença, cirurgias que poderiam ser desnecessárias... vidas que se vão... e quem dá conta desse descaso??? Por que estou escrevendo sobre isso? Porque é o mês de conscientizar e denunciar sobre essa falta de responsabilidade e compromisso do governo faz parte do ativismo, da conscientização. 
Continua nos comentários 👇
Maio chegou! Mês importante para quem luta por melhoria da qualidade de vida, pela visibilidade, pelos direitos ao tratamento com dignidade! Para quem luta todos os dias em busca da remissão! E quem está em remissão também tem sua luta, em manter o tratamento em dia para que a remissão seja longa! Maio é o mês de Conscientização Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais - Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa! Pelo mundo todo ocorrem ações para divulgar, informar e apoiar portadores e familiares sobre essas doenças. O ativismo é intenso nesse mês! Os voluntários, que em sua maioria são portadores, são incansáveis nesse trabalho de conscietização em busca da visibilidade! É um mês para criar e fortalecer laços entre os irmãos intestinais! <3 ;-) Os depoimentos que recebo são uma peça importante nesse ativismo! Fazem parte da conscientização! São relatos reais sobre o quanto essas doenças podem ser incapacitantes. São relatos sobre o descaso do governo! Quantos aqui dependem do SUS para manter o tratamento? Nossas medicações são de alto custo! São medicações de USO CONTÍNUO e quando o tratamento não consegue ser contínuo, esses pacientes têm grande piora dos sintomas, agravamento da doença, cirurgias que poderiam ser desnecessárias... vidas que se vão... e quem dá conta desse descaso??? Por que estou escrevendo sobre isso? Porque é o mês de conscientizar e denunciar sobre essa falta de responsabilidade e compromisso do governo faz parte do ativismo, da conscientização. Continua nos comentários 👇
Para contar a sua história☛www.farmale.com.br clique em Conte Sua História.
Para ler os depoimentos☛www.farmale.com.br clique em Depoimentos #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Olá meu nome é Catia tenho 26 anos e sou portadora de RCU há 07 anos descobri a doença no primeiro sangramento pois tenho um tio portador de RCU tbm, no começo foi mais tranquilo apesar do constante sangramento pois não sentia tantas dores, durante minha gravidez em 2012 foram os melhores meses pois não sentia nada. De janeiro de 2016 pra cá as coisas pioraram muito pois sinto muitas dores, sangramento aumentou e nada corta e o inchaço abdominal. Fora (as dores articulares, infecção no olho) fico internada de vez em quando devido eu não responder a medicação, já fiz avaliação para cirurgia, mas Deus ajudou e não precisei fazer sempre vou ao hospital pois as dores só amenizam com uso de morfina tanto q em julho de 2016 fiquei 3 dias tomando morfina mas a dor não parava. Faço tratamento com: (Azatioprina, Esomeprazol Magnésio, Deflazacort, Cálcio + Vit D, Ômega 3, Probiótico, Metronidazol, Mesalazina). Parei de trabalhar. Mas mesmo com tudo isso ainda tenho fé q entrarei em remissão já q agora vou dar entrada no inflixmabe. Abraço a todos e fé sempre. Que Deus nos abençoe.
Meu nome é Catia de Souza, tenho 26 anos, moro em Cacoal/RO, sou Auxiliar Administrativo, tenho Retocolite Ulcerativa.
➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.
Para compartilhar a sua história ☛ www.farmale.com.br clique na aba Conte Sua História.
Para ler os depoimentos
☛ www.farmale.com.br clique em Depoimentos.
Obrigada Catia <3 #farmaleachoudii #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Olá meu nome é Catia tenho 26 anos e sou portadora de RCU há 07 anos descobri a doença no primeiro sangramento pois tenho um tio portador de RCU tbm, no começo foi mais tranquilo apesar do constante sangramento pois não sentia tantas dores, durante minha gravidez em 2012 foram os melhores meses pois não sentia nada. De janeiro de 2016 pra cá as coisas pioraram muito pois sinto muitas dores, sangramento aumentou e nada corta e o inchaço abdominal. Fora (as dores articulares, infecção no olho) fico internada de vez em quando devido eu não responder a medicação, já fiz avaliação para cirurgia, mas Deus ajudou e não precisei fazer sempre vou ao hospital pois as dores só amenizam com uso de morfina tanto q em julho de 2016 fiquei 3 dias tomando morfina mas a dor não parava. Faço tratamento com: (Azatioprina, Esomeprazol Magnésio, Deflazacort, Cálcio + Vit D, Ômega 3, Probiótico, Metronidazol, Mesalazina). Parei de trabalhar. Mas mesmo com tudo isso ainda tenho fé q entrarei em remissão já q agora vou dar entrada no inflixmabe. Abraço a todos e fé sempre. Que Deus nos abençoe. Meu nome é Catia de Souza, tenho 26 anos, moro em Cacoal/RO, sou Auxiliar Administrativo, tenho Retocolite Ulcerativa. ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história ☛ www.farmale.com.br clique na aba Conte Sua História. Para ler os depoimentos ☛ www.farmale.com.br clique em Depoimentos. Obrigada Catia <3 #farmaleachoudii  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Lá no blog tem formulário bem simples para você compartilhar a sua história. Nesse link 👉 www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html. 👉Ou no blog www.farmale.com.br clique em Conte sua História.

Pode compartilhar uma foto sua também ou uma imagem que você goste!😉 Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Para ler os depoimentos clique nesse link: 👉www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria 👉Ou no blog www.farmale.com.br clique na aba Depoimentos.

#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Lá no blog tem formulário bem simples para você compartilhar a sua história. Nesse link 👉 www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html. 👉Ou no blog www.farmale.com.br clique em Conte sua História. Pode compartilhar uma foto sua também ou uma imagem que você goste!😉 Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para ler os depoimentos clique nesse link: 👉www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria 👉Ou no blog www.farmale.com.br clique na aba Depoimentos. #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Quero superviver!

25 de abril de 2017. Hoje é um dia de muita gratidão! 17 anos de ostomia. “Bendiga ao Senhor a minha alma! Bendiga ao Senhor todo o meu ser!

Bendiga ao Senhor a minha alma! Não se esqueça de nenhuma de suas bênçãos!” Salmos 103:1,2

Já contei o começo dessa história muitas vezes, se você ainda não leu e tem paciência com textão, pode ler no blog Ostomia Sem Fronteiras (http://ostomiasemfronteiras.blogspot.com.br/2012/04/depoimento-de-damaris-moraes.html). Mas o melhor é que a história continua porque Deus resolveu que ainda continuaria por algum tempo, não sei quanto, portanto, aproveitemos para viver, para agradecer, para superviver.

Superviver é um verbo que uso em minhas palestras. Digo que pessoas sobrevivem, vivem e, algumas, supervivem.

Pessoas com DIIs, doenças inflamatórias intestinais, em geral, quando em remissão das crises, supervivem. Por quê? Porque tem pressa, porque ficaram paradas, por meses ou até anos, somente sobrevivendo. Alguns sobreviventes de câncer ou outras enfermidades graves, também tem essa tendência. Eu tenho essa tendência.
32 anos depois do diagnóstico de Reto Colite Ulcerativa – RCU olho para trás e tenho dificuldade em lembrar-me do quanto sofri. Graças a Deus porque esquecer é mais importante que lembrar. Ainda assim, trago à memória para que eu nunca me esqueça de agradecer, e de me preparar, porque nós não sabemos mesmo, o que nos aguarda.

Lembro das dores, das cólicas, das diarreias, do medo de não dar tempo de chegar a um banheiro. Porque às vezes não dava tempo mesmo.

Lembro da irritação, principalmente tomando 12 comprimidos de corticoide por dia, e mais 6 de sulfassalazina, mais 4 para dor, mais 4 para o estômago, mais 1, para o quê mesmo? Não me lembro, mas eram 27. Não havia biológicos naquela época.

Lembro do medo de perder o emprego. Uma vez fiz uma cirurgia de fístula numa sexta-feira, meu médico pediu repouso por uma semana, mas na segunda eu estava lá, dando aula. Não tinha tido coragem de entregar o atestado, mas tive que entregar porque desmaiei em sala.

Lembro da solidão. Na época, não conhecia ninguém com DII. 
CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Quero superviver! 25 de abril de 2017. Hoje é um dia de muita gratidão! 17 anos de ostomia. “Bendiga ao Senhor a minha alma! Bendiga ao Senhor todo o meu ser! Bendiga ao Senhor a minha alma! Não se esqueça de nenhuma de suas bênçãos!” Salmos 103:1,2 Já contei o começo dessa história muitas vezes, se você ainda não leu e tem paciência com textão, pode ler no blog Ostomia Sem Fronteiras (http://ostomiasemfronteiras.blogspot.com.br/2012/04/depoimento-de-damaris-moraes.html). Mas o melhor é que a história continua porque Deus resolveu que ainda continuaria por algum tempo, não sei quanto, portanto, aproveitemos para viver, para agradecer, para superviver. Superviver é um verbo que uso em minhas palestras. Digo que pessoas sobrevivem, vivem e, algumas, supervivem. Pessoas com DIIs, doenças inflamatórias intestinais, em geral, quando em remissão das crises, supervivem. Por quê? Porque tem pressa, porque ficaram paradas, por meses ou até anos, somente sobrevivendo. Alguns sobreviventes de câncer ou outras enfermidades graves, também tem essa tendência. Eu tenho essa tendência. 32 anos depois do diagnóstico de Reto Colite Ulcerativa – RCU olho para trás e tenho dificuldade em lembrar-me do quanto sofri. Graças a Deus porque esquecer é mais importante que lembrar. Ainda assim, trago à memória para que eu nunca me esqueça de agradecer, e de me preparar, porque nós não sabemos mesmo, o que nos aguarda. Lembro das dores, das cólicas, das diarreias, do medo de não dar tempo de chegar a um banheiro. Porque às vezes não dava tempo mesmo. Lembro da irritação, principalmente tomando 12 comprimidos de corticoide por dia, e mais 6 de sulfassalazina, mais 4 para dor, mais 4 para o estômago, mais 1, para o quê mesmo? Não me lembro, mas eram 27. Não havia biológicos naquela época. Lembro do medo de perder o emprego. Uma vez fiz uma cirurgia de fístula numa sexta-feira, meu médico pediu repouso por uma semana, mas na segunda eu estava lá, dando aula. Não tinha tido coragem de entregar o atestado, mas tive que entregar porque desmaiei em sala. Lembro da solidão. Na época, não conhecia ninguém com DII. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Descobri a retocolite ulcerativa em 2001, tinha eventuais sangramentos, por isso procurei ajuda médica. Na verdade nunca sofri com a doença, até que 8 anos depois, precisei ser internada com fortíssima dor abdominal. Foram quase 60 dias de hospital, seguidas de muitas complicações, UTI, pneumonia, infecção generalizada, perfuração e necrose do intestino grosso, cirurgia de urgência, e bolsa de Ileostomia. Após isso renasci, descobri outra forma de aproveitar e valorizar a vida. Mudei hábitos, me aceitei da forma como Deus me permitiu viver a vida. Tenho a possibilidade da reversão. Mas optei não fazer por temer qualidade de vida ruim. Levo uma vida totalmente normal, sem limitações por conta da ostomia. Trabalho, viajo, pratico atividade física, vou a piscina, praia! Mas tudo mudou ainda mais. Decidi que encararia uma gestação mesmo usando a bolsa. E deu tudo certo!!! Em 2013 ganhei a Manuela, e em 2015 dei a luz a Catarina! Minhas riquezas, e a certeza de que tudo valeu a pena!

Meu nome é Juliana Bimbatti, tenho 36 anos, moro em Osasco/SP, sou Dentista, tenho Retocolite Ulcerativa. ➼ Para ler o depoimento da Juliano no blog ☛http://www.farmale.com.br/2017/04/decidi-que-encararia-uma-gestacao.html ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html

Para ler os depoimentos clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria

Obrigada Juliana <3

#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Descobri a retocolite ulcerativa em 2001, tinha eventuais sangramentos, por isso procurei ajuda médica. Na verdade nunca sofri com a doença, até que 8 anos depois, precisei ser internada com fortíssima dor abdominal. Foram quase 60 dias de hospital, seguidas de muitas complicações, UTI, pneumonia, infecção generalizada, perfuração e necrose do intestino grosso, cirurgia de urgência, e bolsa de Ileostomia. Após isso renasci, descobri outra forma de aproveitar e valorizar a vida. Mudei hábitos, me aceitei da forma como Deus me permitiu viver a vida. Tenho a possibilidade da reversão. Mas optei não fazer por temer qualidade de vida ruim. Levo uma vida totalmente normal, sem limitações por conta da ostomia. Trabalho, viajo, pratico atividade física, vou a piscina, praia! Mas tudo mudou ainda mais. Decidi que encararia uma gestação mesmo usando a bolsa. E deu tudo certo!!! Em 2013 ganhei a Manuela, e em 2015 dei a luz a Catarina! Minhas riquezas, e a certeza de que tudo valeu a pena! Meu nome é Juliana Bimbatti, tenho 36 anos, moro em Osasco/SP, sou Dentista, tenho Retocolite Ulcerativa. ➼ Para ler o depoimento da Juliano no blog ☛http://www.farmale.com.br/2017/04/decidi-que-encararia-uma-gestacao.html ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html Para ler os depoimentos clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria Obrigada Juliana <3 #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Olá, me chamo Joás Maciel, tenho 52 anos sou casado e pai de dois filhos, moro em Santo André.

Fui diagnosticado portador de doença de Crohn no ano de 2000,e no mesmo ano fiz uma cirurgia no intestino delgado, fiquei em remissão até 2010.

Porém a partir dessa data comecei a ter crises novamente, dores abdominais febre e diarreias, no ano de 2012 no mês de junho fui internado com fortes dores abdominais e após vinte dias, tive que passar por uma nova cirurgia.

Desde então eu levo uma vida normal, estou em remissão, até esqueci q tenho essa doença, faço tratamento com Humira aqui mesmo na minha cidade de Santo André SP. Nas horas de folga eu pratico esporte, sou corredor e participo de corridas de rua, inclusive a São Silvestre.

Quem estiver em crises, não se desespere e cuide do Psicológico, porque esse sofrimento é passageiro.

Um grande abraço à todos e muita saúde.

Meu nome é Joás Maciel, tenho 52 anos, moro em Santo André/SP, sou Militar, tenho Doença de Crohn. Meu Instagram: @camargojoas ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Para compartilhar a sua história 👉www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html 👉Ou no blog www.farmale.com.br clicando na aba Conte Sua História.

Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria 👉Ou no blog www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos.

Obrigada  Joás Maciel!

#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Olá, me chamo Joás Maciel, tenho 52 anos sou casado e pai de dois filhos, moro em Santo André. Fui diagnosticado portador de doença de Crohn no ano de 2000,e no mesmo ano fiz uma cirurgia no intestino delgado, fiquei em remissão até 2010. Porém a partir dessa data comecei a ter crises novamente, dores abdominais febre e diarreias, no ano de 2012 no mês de junho fui internado com fortes dores abdominais e após vinte dias, tive que passar por uma nova cirurgia. Desde então eu levo uma vida normal, estou em remissão, até esqueci q tenho essa doença, faço tratamento com Humira aqui mesmo na minha cidade de Santo André SP. Nas horas de folga eu pratico esporte, sou corredor e participo de corridas de rua, inclusive a São Silvestre. Quem estiver em crises, não se desespere e cuide do Psicológico, porque esse sofrimento é passageiro. Um grande abraço à todos e muita saúde. Meu nome é Joás Maciel, tenho 52 anos, moro em Santo André/SP, sou Militar, tenho Doença de Crohn. Meu Instagram: @camargojoas ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história 👉www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html 👉Ou no blog www.farmale.com.br clicando na aba Conte Sua História. Para ler os depoimentos 👉www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria 👉Ou no blog www.farmale.com.br clicando na aba Depoimentos. Obrigada Joás Maciel! #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Os amigos todos sumiram

Me chamo Alessandra tenho 45 anos sou psicóloga e corredora de rua, final de setembro de 2016 descobrir que tenho doença de Crohn fiquei sem chão, tive que mudar toda minha alimentação, parar com as corridas só não deixei de ir na academia pq isso me ajudou muito no meu emocional. Os amigos todos sumiram, mais Graça a Deus tenho uma família abençoada que me deu e dá todo suporte que precisava. Sofri como todos que tem Crohn sofreram dores, várias vezes ao banheiro, emagreci muito, foram dias muitos tristes é difícil. Só que Deus colocou um anjo em minha vida Dr Adilson Novak e hoje recebi a notícia que estou em remissão? Intestino limpo normal. A minha dica é cuide do emocional, faça atividade, o pensamento positivo tem um poder que vcs não imaginam. Agora é voltar aos treinos de corrida o que me dar a maior sensação de liberdade. E acima de tudo se ame como vc é ❤. Meu nome é Alessandra, tenho 45 anos, moro em Foz do Iguaçu, sou Psicóloga, tenho Doença de Crohn. Meu Instagram: @afapsico ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.

Para compartilhar a sua história clique na aba 👉 Conte Sua História do blog www.farmale.com.br 
Para ler os depoimentos clique na aba 👉 Depoimentos do blog www.farmale.com.br

Obrigada Alessandra!💜 #farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
Os amigos todos sumiram Me chamo Alessandra tenho 45 anos sou psicóloga e corredora de rua, final de setembro de 2016 descobrir que tenho doença de Crohn fiquei sem chão, tive que mudar toda minha alimentação, parar com as corridas só não deixei de ir na academia pq isso me ajudou muito no meu emocional. Os amigos todos sumiram, mais Graça a Deus tenho uma família abençoada que me deu e dá todo suporte que precisava. Sofri como todos que tem Crohn sofreram dores, várias vezes ao banheiro, emagreci muito, foram dias muitos tristes é difícil. Só que Deus colocou um anjo em minha vida Dr Adilson Novak e hoje recebi a notícia que estou em remissão? Intestino limpo normal. A minha dica é cuide do emocional, faça atividade, o pensamento positivo tem um poder que vcs não imaginam. Agora é voltar aos treinos de corrida o que me dar a maior sensação de liberdade. E acima de tudo se ame como vc é ❤. Meu nome é Alessandra, tenho 45 anos, moro em Foz do Iguaçu, sou Psicóloga, tenho Doença de Crohn. Meu Instagram: @afapsico ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história clique na aba 👉 Conte Sua História do blog www.farmale.com.br Para ler os depoimentos clique na aba 👉 Depoimentos do blog www.farmale.com.br Obrigada Alessandra!💜 #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
Não desistam dos seus objetivos
Janeiro de 2015, férias, alegria e muita dor. 
Estava na casa de amigos no litoral de SC, nos divertimos muito, porém eu sentia que algo não estava legal comigo, dores abdominais, evacuações frequentes com presença de muco e sangue. Logo pensei, deve ser da alimentação, comemos muitas besteirinhas e comemos em horários diferentes afinal estamos de férias. Voltando pra minha cidade comentei com a minha mãe sobre o acontecido, e a mesma me orientou a procurar um proctologista o quanto antes, não dei muito bola pro que ela falou, dias eu estava bem e dias não, emagreci cerca de 6kg em menos de 30 dias, eu estava nos preparativos para minha formatura da faculdade, hoje sou Psicóloga formada, e eu estava num estresse diário. Duas semanas antes da formatura fui ao médico, e ele me pediu uma colonoscopia de urgência, após feio o exame, meu medo era muito grande de saber o resultado, afinal eu queria estar feliz na minha festa, relutei e no fim acabei indo dias antes fazer a consulta e ter o diagnóstico que foi como um soco no estômago. "- Raquel, você tem retocolite severa, nada do que você já comeu ou fez na sua vida resultou a isso, e não existe cura pra esta doença." Confesso que meu mundo desmoronou, me perguntava porquê comigo? Porque tão nova? e Agora como vou viver com isso o resto da vida? Depois desta consulta iniciei o tratamento com Pentasa 1g (2 ao dia) e Mesalazinha 800mg (3 ao dia), fizemos a solicitação pelo SUS na farmácia de alto custo da minha cidade, o processo foi bem rápido, porém na maioria dos meses algum destes medicamentos está em falta. Comecei a me exercitar fazer musculação (eu era mega sedentária), logo entrei em remissão e estou até hoje em remissão graças a Deus. 
CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
Não desistam dos seus objetivos Janeiro de 2015, férias, alegria e muita dor. Estava na casa de amigos no litoral de SC, nos divertimos muito, porém eu sentia que algo não estava legal comigo, dores abdominais, evacuações frequentes com presença de muco e sangue. Logo pensei, deve ser da alimentação, comemos muitas besteirinhas e comemos em horários diferentes afinal estamos de férias. Voltando pra minha cidade comentei com a minha mãe sobre o acontecido, e a mesma me orientou a procurar um proctologista o quanto antes, não dei muito bola pro que ela falou, dias eu estava bem e dias não, emagreci cerca de 6kg em menos de 30 dias, eu estava nos preparativos para minha formatura da faculdade, hoje sou Psicóloga formada, e eu estava num estresse diário. Duas semanas antes da formatura fui ao médico, e ele me pediu uma colonoscopia de urgência, após feio o exame, meu medo era muito grande de saber o resultado, afinal eu queria estar feliz na minha festa, relutei e no fim acabei indo dias antes fazer a consulta e ter o diagnóstico que foi como um soco no estômago. "- Raquel, você tem retocolite severa, nada do que você já comeu ou fez na sua vida resultou a isso, e não existe cura pra esta doença." Confesso que meu mundo desmoronou, me perguntava porquê comigo? Porque tão nova? e Agora como vou viver com isso o resto da vida? Depois desta consulta iniciei o tratamento com Pentasa 1g (2 ao dia) e Mesalazinha 800mg (3 ao dia), fizemos a solicitação pelo SUS na farmácia de alto custo da minha cidade, o processo foi bem rápido, porém na maioria dos meses algum destes medicamentos está em falta. Comecei a me exercitar fazer musculação (eu era mega sedentária), logo entrei em remissão e estou até hoje em remissão graças a Deus. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS 👇
CRONH? O que é isso?
Tudo começou com uma simples virose. Virose que ficou algumas semanas. Passou o tempo aumentou a diarreia com sangue fui ao proctologista me deu o diagnóstico de hemorróidas. Fiz o tratamento durante meses, nada melhorava pelo contrário só aumentava. Ia ao trabalho todos os dias escondendo das pessoas que estava mal, escondi por meses. Foi um belo dia de movimento no trabalho eu passando muito mal sem esperança pois já tinha ido há vários médicos nada dava certo. Fui ao banheiro perdendo muito sangue demorei no banheiro como era de costume todos falavam que eu morcegava no banheiro mal sabia eles o que eu estava passando. Quando sai do banheiro a gerente entra no banheiro, me chama e diz: Izabel o que está acontecendo?! Quero ti ajudar, mas preciso sabe o que está acontecendo. Chorando, com vergonha e até medo contei a verdade. Na mesma hora a gerente me leva até a upa, chegando lá Deus enviou uma ótima médica, pediu vários exames, rápido me colocou na medicação e fez minha internação e pediu para me transferir para um hospital. Fiquei 3 dias e 2 noites na upa em cadeira pois não tinha vaga. Até que saiu a vaga para hospital das clínicas. Minha mãe nervosa. Minha filha em casa sendo cuidada por familiares, eu estava no começo de namoro. Eu me perguntava será que vou morrer?! Fiquei internada 1 mês e 15 dias fazendo vários tipos de exames, não tinha força para nada, quem ia me visitar só me colocava mas para baixou pois eu emagreci 16 kg em 1 mês. Todos pensavam que era câncer e eu não iria resistir. Perdi tanto sangue que precisei tomar bolsas de sangue. Depois de muito sofrimento internada molhando a boca com algodão em dias de dieta zero descobriram a tal DOENÇA DE CRONH. CRONH??? O que é isso?? Eu nunca tinha ouvido falar sobre isso! Aí vem as dúvidas, perguntas algumas sem resposta. Eu pesquisava dia e noite sobre a doença fica louca.

Leiam o depoimento todo no blog!  Nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria
➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.
Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html
#FarmaleConteASuaHistoria
CRONH? O que é isso? Tudo começou com uma simples virose. Virose que ficou algumas semanas. Passou o tempo aumentou a diarreia com sangue fui ao proctologista me deu o diagnóstico de hemorróidas. Fiz o tratamento durante meses, nada melhorava pelo contrário só aumentava. Ia ao trabalho todos os dias escondendo das pessoas que estava mal, escondi por meses. Foi um belo dia de movimento no trabalho eu passando muito mal sem esperança pois já tinha ido há vários médicos nada dava certo. Fui ao banheiro perdendo muito sangue demorei no banheiro como era de costume todos falavam que eu morcegava no banheiro mal sabia eles o que eu estava passando. Quando sai do banheiro a gerente entra no banheiro, me chama e diz: Izabel o que está acontecendo?! Quero ti ajudar, mas preciso sabe o que está acontecendo. Chorando, com vergonha e até medo contei a verdade. Na mesma hora a gerente me leva até a upa, chegando lá Deus enviou uma ótima médica, pediu vários exames, rápido me colocou na medicação e fez minha internação e pediu para me transferir para um hospital. Fiquei 3 dias e 2 noites na upa em cadeira pois não tinha vaga. Até que saiu a vaga para hospital das clínicas. Minha mãe nervosa. Minha filha em casa sendo cuidada por familiares, eu estava no começo de namoro. Eu me perguntava será que vou morrer?! Fiquei internada 1 mês e 15 dias fazendo vários tipos de exames, não tinha força para nada, quem ia me visitar só me colocava mas para baixou pois eu emagreci 16 kg em 1 mês. Todos pensavam que era câncer e eu não iria resistir. Perdi tanto sangue que precisei tomar bolsas de sangue. Depois de muito sofrimento internada molhando a boca com algodão em dias de dieta zero descobriram a tal DOENÇA DE CRONH. CRONH??? O que é isso?? Eu nunca tinha ouvido falar sobre isso! Aí vem as dúvidas, perguntas algumas sem resposta. Eu pesquisava dia e noite sobre a doença fica louca. Leiam o depoimento todo no blog!  Nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html #FarmaleConteASuaHistoria 
Dois filhos, um com doença de Crohn e o outro com retocolite ulcerativa. A luta é grande para nós adultos, mas quando são nossos filhos... nossa... a luta é sem tamanho. Juliane Vieira, desejo para vc e sua família dias alegres e de paz. Você é uma guerreira! "Ola hoje venho contar um pouquinho da minha história e dessa doença chamada cronh.
Na verdade digo que é minha história porque faço parte dela dia a dia mas na verdade o meu filho de 12 anos Nata foi diagnosticado a alguns meses com doença de Cronh mas ele nasceu com refluxo fortíssimo aonde hoje tenho a certeza que ele também tinha aplv (alergia a proteína do leite) mas na época não foi diagnosticado com isso e somente com refluxo muito forte e problemas no esôfago teve varias pneumonia 3 convulsões foi um Bebê e uma criança muito doente e foi crescendo e crescendo foram feitas 7 endoscopias pra sabe o que de fato ele tinha. Foi diagnosticado com esofagite eosinofílica com aumento de eosinófilos fui em vários gastro pediatra junto com a pediatra dele que de fato e excelente começou o tratamento para essa esofagite ficou bem mas ai de repente ficou muito mal internação onde a pediatra pensou que era só uma virose fico internado 12 dias com muita diarréia vomito e dor abdominal fez tomografia, mas uma endoscopia ultrassom exames de sangue e a pediatra pediu pra que viesse um gastro pra avaliar melhor ele disse que podia ser doença celiaca e mandou pra casa.
Em casa sem melhoras ele começou aparecer feridas na pele dele muito nas pernas braços e barriga a perna dele sangrava do nada e muita dor nas articulação abdominal mas sem diarréia e pernas muito inchada sem poder andar de dor voltei ao hospital internaram novamente e foi feito mais exames e o gastro foi avaliar e a pediatra pediu pra cuida com carinho do caso dele tinha ferida na boca dentro da mucosa e ele fez uma colonoscopia e veio o resultado"

Leiam o depoimento todo no blog!  Nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria
➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.
Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html

#FarmaleConteASuaHistoria
Dois filhos, um com doença de Crohn e o outro com retocolite ulcerativa. A luta é grande para nós adultos, mas quando são nossos filhos... nossa... a luta é sem tamanho. Juliane Vieira, desejo para vc e sua família dias alegres e de paz. Você é uma guerreira! "Ola hoje venho contar um pouquinho da minha história e dessa doença chamada cronh. Na verdade digo que é minha história porque faço parte dela dia a dia mas na verdade o meu filho de 12 anos Nata foi diagnosticado a alguns meses com doença de Cronh mas ele nasceu com refluxo fortíssimo aonde hoje tenho a certeza que ele também tinha aplv (alergia a proteína do leite) mas na época não foi diagnosticado com isso e somente com refluxo muito forte e problemas no esôfago teve varias pneumonia 3 convulsões foi um Bebê e uma criança muito doente e foi crescendo e crescendo foram feitas 7 endoscopias pra sabe o que de fato ele tinha. Foi diagnosticado com esofagite eosinofílica com aumento de eosinófilos fui em vários gastro pediatra junto com a pediatra dele que de fato e excelente começou o tratamento para essa esofagite ficou bem mas ai de repente ficou muito mal internação onde a pediatra pensou que era só uma virose fico internado 12 dias com muita diarréia vomito e dor abdominal fez tomografia, mas uma endoscopia ultrassom exames de sangue e a pediatra pediu pra que viesse um gastro pra avaliar melhor ele disse que podia ser doença celiaca e mandou pra casa. Em casa sem melhoras ele começou aparecer feridas na pele dele muito nas pernas braços e barriga a perna dele sangrava do nada e muita dor nas articulação abdominal mas sem diarréia e pernas muito inchada sem poder andar de dor voltei ao hospital internaram novamente e foi feito mais exames e o gastro foi avaliar e a pediatra pediu pra cuida com carinho do caso dele tinha ferida na boca dentro da mucosa e ele fez uma colonoscopia e veio o resultado" Leiam o depoimento todo no blog! Nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html #FarmaleConteASuaHistoria 
Me chamo Flávia e tento a RCU há 9 anos. Fui diagnosticada em dezembro de 2007, aos 19! Estava há dois meses com diarreia com sangue, havia sofrido o término do primeiro namoro, meu pai teve um AVC, minha cachorra querida estava doente e meu único irmão num intercâmbio. Nunca tinha ouvido falar nessa doença e, já na primeira colonoscopia, a sedação não pegou, acordei no meio do exame sentindo a biópsia. Fiquei inconsolada nesse natal, tendo que colocar supositório, além dos remédios via oral. Voltei a ter crises feias em 2009, 2011, 2013 e 2015. Fiz mais de 6 colonos, sou mega ansiosa, qualquer nervoso mais grave o intestino já me faz lembrar da úlcera. Já chorei demais e passei muita vergonha por causa dela. As vezes que não consegui chegar ao banheiro. Ter que elaborar banheiros estratégicos caso precise no meio do caminho. Quando você começa a pesquisar sobre a doença na internet se assusta. Aumenta-se o índice de câncer após os 10 anos de diagnóstico! Hoje trato com mesalazina oral e retal. Tendo que tomar corticoide nas crises brabas. Aprendi a aceitar a doença e a conviver com ela. Se você estiver sendo diagnosticado agora, seja forte. Mantenha-se firme. Não é o fim do mundo!
Meu nome é Flávia Yamamoto, tenho 28 anos, moro em São Paulo, sou Professora, tenho Retocolite Ulcerativa.

Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.
Compartilhe a sua história ⇒ Conte Sua História no blog www.farmale.com.br

Para ler os depoimentos clique ⇒  www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria

Obrigada Flávia Yamamoto 💜

#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #ibdawareness #juntossomosmaisfortes
Me chamo Flávia e tento a RCU há 9 anos. Fui diagnosticada em dezembro de 2007, aos 19! Estava há dois meses com diarreia com sangue, havia sofrido o término do primeiro namoro, meu pai teve um AVC, minha cachorra querida estava doente e meu único irmão num intercâmbio. Nunca tinha ouvido falar nessa doença e, já na primeira colonoscopia, a sedação não pegou, acordei no meio do exame sentindo a biópsia. Fiquei inconsolada nesse natal, tendo que colocar supositório, além dos remédios via oral. Voltei a ter crises feias em 2009, 2011, 2013 e 2015. Fiz mais de 6 colonos, sou mega ansiosa, qualquer nervoso mais grave o intestino já me faz lembrar da úlcera. Já chorei demais e passei muita vergonha por causa dela. As vezes que não consegui chegar ao banheiro. Ter que elaborar banheiros estratégicos caso precise no meio do caminho. Quando você começa a pesquisar sobre a doença na internet se assusta. Aumenta-se o índice de câncer após os 10 anos de diagnóstico! Hoje trato com mesalazina oral e retal. Tendo que tomar corticoide nas crises brabas. Aprendi a aceitar a doença e a conviver com ela. Se você estiver sendo diagnosticado agora, seja forte. Mantenha-se firme. Não é o fim do mundo! Meu nome é Flávia Yamamoto, tenho 28 anos, moro em São Paulo, sou Professora, tenho Retocolite Ulcerativa. Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Compartilhe a sua história ⇒ Conte Sua História no blog www.farmale.com.br Para ler os depoimentos clique ⇒  www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria Obrigada Flávia Yamamoto 💜 #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #ibdawareness  #juntossomosmaisfortes 
#Repost @farmale with @repostapp
・・・
Ola! Muito prazer! Eu sou a Farmale. Blogueira, Mestre em Biociências Nucleares (UERJ), Farmacêutica, tenho #doençadeCrohn e #espondiloartrite associada ao Crohn.
Utilizo o meu blog para compartilhar informações sobre #saúde, alimentação, educação infantil, atividade física, muita informação para a promoção de hábitos saudáveis. ➤ O foco principal são as doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn e retocolite ulcerativa). Gostaria muito que você que está lendo e acompanhando o meu blog, participe comentando ou enviando sugestões de assuntos que gostaria de ver no blog Farmale. Vamos interagir e trocar ideias, #juntossomosmaisfortes! O objetivo principal do blog é o empoderamento de pacientes, conscientizando com informação séria e segura sobre as doenças inflamatórias intestinais. ➤ Tem uma coluna no Farmale sobre ostomia.
➤ Compartilhe no blog seu depoimento sobre a sua vivência com a DII.
➤ Veja os depoimentos clicando aqui: #FarmaleConteASuaHistoria ➤ #EncontrosFarmale: são realizados em Copacabana/Rio de Janeiro, aos sábados com a participação de palestrantes da área de saúde experiente em doenças inflamatórias intestinais.  Saiba sobre as novas datas acompanhando o blog ou envie um e-mail para farmaleachou@gmail.com
➤ Sou Farmacêutica voluntária da #ALEMDII - Associação do Leste Mineiro de Portadores de DII
➤ Colunista voluntária do Blog Artrite Reumatoide www.artritereumatoide.blog.br
Meu e-mail: farmaleachou@gmail.com
Blog: www.farmale.com.br
Instagram: www.instagram.com/Farmale
Twitter: www.twitter.com/Farmale
#farmale #IEncontroFarmale #IIEncontroFarmale #IIIEncontroFarmale #farmaleachousaude #farmaleachoudii #doençasinflamatóriasintestinais #retocoliteulcerativa #crohns #colitis #crohnsdisease #ostomy #conscientizarostomia #ostomia #empoderarpacientes
#farmaleempodera #advocacy #empoweredpatients
#conscientizardii #conscientizarostomia #juntossomosmaisfortesqueadoença #empoderarpacientes
#Repost  @farmale with @repostapp ・・・ Ola! Muito prazer! Eu sou a Farmale. Blogueira, Mestre em Biociências Nucleares (UERJ), Farmacêutica, tenho #doençadeCrohn  e #espondiloartrite  associada ao Crohn. Utilizo o meu blog para compartilhar informações sobre #saúde , alimentação, educação infantil, atividade física, muita informação para a promoção de hábitos saudáveis. ➤ O foco principal são as doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn e retocolite ulcerativa). Gostaria muito que você que está lendo e acompanhando o meu blog, participe comentando ou enviando sugestões de assuntos que gostaria de ver no blog Farmale. Vamos interagir e trocar ideias, #juntossomosmaisfortes ! O objetivo principal do blog é o empoderamento de pacientes, conscientizando com informação séria e segura sobre as doenças inflamatórias intestinais. ➤ Tem uma coluna no Farmale sobre ostomia. ➤ Compartilhe no blog seu depoimento sobre a sua vivência com a DII. ➤ Veja os depoimentos clicando aqui: #FarmaleConteASuaHistoria  ➤ #EncontrosFarmale : são realizados em Copacabana/Rio de Janeiro, aos sábados com a participação de palestrantes da área de saúde experiente em doenças inflamatórias intestinais. Saiba sobre as novas datas acompanhando o blog ou envie um e-mail para farmaleachou@gmail.com ➤ Sou Farmacêutica voluntária da #ALEMDII  - Associação do Leste Mineiro de Portadores de DII ➤ Colunista voluntária do Blog Artrite Reumatoide www.artritereumatoide.blog.br Meu e-mail: farmaleachou@gmail.com Blog: www.farmale.com.br Instagram: www.instagram.com/Farmale Twitter: www.twitter.com/Farmale #farmale  #IEncontroFarmale  #IIEncontroFarmale  #IIIEncontroFarmale  #farmaleachousaude  #farmaleachoudii  #doençasinflamatóriasintestinais  #retocoliteulcerativa  #crohns  #colitis  #crohnsdisease  #ostomy  #conscientizarostomia  #ostomia  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #advocacy  #empoweredpatients  #conscientizardii  #conscientizarostomia  #juntossomosmaisfortesqueadoença  #empoderarpacientes 
Aí Galera exatamente a um ano atrás estava sendo diagnósticado com Crohn meu mundo caiu desanimei me entreguei desde quando comecei com os sintomas em 2014 só foram derrotas, desemprego ( concursado fazia escola Curso Superior de Formação de Soldados PMSP ) fim de relacionamento tive um começo de depressão tive que pedir desligamento do curso, de 2014 a 2015 sofrimento com exames sem saber ao certo qual era meu problema o que me levou a perder mais de 20 kilos em tão pouco tempo, quanto pensamentos negativos para outras doenças... Deus me livre só de pensar... Quantos " nossa você esta magro " " nossa ta com AIDS " isso so me derrubava mais ... acredito que foi o pior período da minha vida ...
Essa foto tirei em 2015 assim que soube do resultado dos exames p Crohn... e essa outra foto é de agora como estou após tratamento e acompanhamento mudança do estilo de vida as vezes achamos que a doença é o fim de nossas vidas (eu queria morrer quando estava em crises dores e diarréia ) mas hoje vejo que a partir dessa data tive uma nova oportunidade de viver...
Tenho a agradecer a Deus a minha família a alguns amigos porque nessa hora você ve quem é quem agradeço também  muito ao meu médico Dr Fábio Teixeira e o pessoal da clínica Gastro Saúde que sempre me ajudaram em especial a Beatriz e a Jessica. A guerra ainda não foi vencida, mais hoje tô bem levo uma vida mais sadia prático atividades físicas dieta e estou vivendo graças a Deus!! Tudo se acertou só falta arrumar uma namorada 😀😀😀😀
Meta agora 80kg até o Carnaval 💪 chegar chegando em Floripa rs Valeu amigos quem quiser me add trocar experiências fiquem a vontade !
Meu nome é Marcelo Fabiano dos Santos, tenho 31 anos, moro em Marília/SP, sou Empresário, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/marcelofabiano.dossantos ➼ Conte a Sua História Também lá no blog, link na bio! Expressar tranquiliza-a-dor.
#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor 
#PurpleFriday #IBD #crohnsandcolitisawarenessweek #invisibleillness #crohnsandcolitis #awareness #purple #conscientizardii #ulcerativecolitis #crohnsdisease
Aí Galera exatamente a um ano atrás estava sendo diagnósticado com Crohn meu mundo caiu desanimei me entreguei desde quando comecei com os sintomas em 2014 só foram derrotas, desemprego ( concursado fazia escola Curso Superior de Formação de Soldados PMSP ) fim de relacionamento tive um começo de depressão tive que pedir desligamento do curso, de 2014 a 2015 sofrimento com exames sem saber ao certo qual era meu problema o que me levou a perder mais de 20 kilos em tão pouco tempo, quanto pensamentos negativos para outras doenças... Deus me livre só de pensar... Quantos " nossa você esta magro " " nossa ta com AIDS " isso so me derrubava mais ... acredito que foi o pior período da minha vida ... Essa foto tirei em 2015 assim que soube do resultado dos exames p Crohn... e essa outra foto é de agora como estou após tratamento e acompanhamento mudança do estilo de vida as vezes achamos que a doença é o fim de nossas vidas (eu queria morrer quando estava em crises dores e diarréia ) mas hoje vejo que a partir dessa data tive uma nova oportunidade de viver... Tenho a agradecer a Deus a minha família a alguns amigos porque nessa hora você ve quem é quem agradeço também muito ao meu médico Dr Fábio Teixeira e o pessoal da clínica Gastro Saúde que sempre me ajudaram em especial a Beatriz e a Jessica. A guerra ainda não foi vencida, mais hoje tô bem levo uma vida mais sadia prático atividades físicas dieta e estou vivendo graças a Deus!! Tudo se acertou só falta arrumar uma namorada 😀😀😀😀 Meta agora 80kg até o Carnaval 💪 chegar chegando em Floripa rs Valeu amigos quem quiser me add trocar experiências fiquem a vontade ! Meu nome é Marcelo Fabiano dos Santos, tenho 31 anos, moro em Marília/SP, sou Empresário, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: www.facebook.com/marcelofabiano.dossantos ➼ Conte a Sua História Também lá no blog, link na bio! Expressar tranquiliza-a-dor. #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #PurpleFriday  #IBD  #crohnsandcolitisawarenessweek  #invisibleillness  #crohnsandcolitis  #awareness  #purple  #conscientizardii  #ulcerativecolitis  #crohnsdisease 
"Ela tem doença de Crohn". Eu nem sabia o que era isso... Bem, minha história com meus intestinos começou em 1991... eu tinha 13/14 anos, era uma criança normal. Magra, mas vivia muito bem de saúde, exceto uma anemia persistente desde os 11 anos.
Vivia uma relação complicada em casa, por causa do alcoolismo do meu pai, que, apesar de não haver violência física, havia violência psicológica. Até que em 1991 tive a minha primeira discussão com meu pai, ele, no dia seguinte teve um AVC, aos 39 anos.
No dia seguinte eu tive uma forte diarreia e muita dor na barriga. Como estava entrando no ensino médio, vivendo a situação de doença de meu pai e até me sentindo culpada pelo mal que ele sofria, os médicos examinavam minha barriga e me prescreviam vermifogos para ameba, h.pilori etc. Tive uma leve gastrite... um ano assim e nada... os gastro que fui disse a minha mãe que era tudo psicológico, que eu não tinha gastrite, que comia mal etc. Fui ao psicólogo que me cuidou como ansiosa.
Idas ao gastro eram constantes e tome endoscopia e metronidazol... magra, com dor e diarreias diárias.
Leia todo depoimento da Verenna:
www.farmale.com. br clicando em Depoimentos.  Verenna é Presidente da ABADII-Associação Baiana de Portadores de Doenças Inflamatórias Intestinais ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.
Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html
Para ler os depoimentos clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria
Obrigada Verenna <3
#farmale #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #ExtpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes
"Ela tem doença de Crohn". Eu nem sabia o que era isso... Bem, minha história com meus intestinos começou em 1991... eu tinha 13/14 anos, era uma criança normal. Magra, mas vivia muito bem de saúde, exceto uma anemia persistente desde os 11 anos. Vivia uma relação complicada em casa, por causa do alcoolismo do meu pai, que, apesar de não haver violência física, havia violência psicológica. Até que em 1991 tive a minha primeira discussão com meu pai, ele, no dia seguinte teve um AVC, aos 39 anos. No dia seguinte eu tive uma forte diarreia e muita dor na barriga. Como estava entrando no ensino médio, vivendo a situação de doença de meu pai e até me sentindo culpada pelo mal que ele sofria, os médicos examinavam minha barriga e me prescreviam vermifogos para ameba, h.pilori etc. Tive uma leve gastrite... um ano assim e nada... os gastro que fui disse a minha mãe que era tudo psicológico, que eu não tinha gastrite, que comia mal etc. Fui ao psicólogo que me cuidou como ansiosa. Idas ao gastro eram constantes e tome endoscopia e metronidazol... magra, com dor e diarreias diárias. Leia todo depoimento da Verenna: www.farmale.com. br clicando em Depoimentos. Verenna é Presidente da ABADII-Associação Baiana de Portadores de Doenças Inflamatórias Intestinais ➼ Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html Para ler os depoimentos clique nesse link: ☛ www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria Obrigada Verenna <3 #farmale  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #ExtpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes 
"Você tem #Crohn!" - Começava ali uma batalha árdua
"O crohn me abriu portas para novos sonhos, novos projetos e para uma nova visão de vida" Tudo começou em Fevereiro de 2013,muita dor abdominal, diarréia, vômitos e febre. Foram 4 dias assim, até que não aguentando mais fui pro hospital. Sendo internada com suspeita de apendicite, que por imprudência do médico (digo imprudência pois ele se baseou apenas nos meu sintomas e não investigou) só foi descartado na mesa de cirurgia. Por esse erro passei por mais 2 cirurgias em março e abril do mesmo ano pois não cicatrizava o local. 
Passado esse período, e uma melhora naqueles primeiros sintomas, em agosto iniciei o curso que tanto queria. Estava bem, mas em setembro as dores voltaram... voltou a diarréia, que me causou muitos constrangimentos.... A febre que vinha sempre a tarde, e eu julgando ser estresse devido à provas e trabalhos, mas não era. A dor começou a vir após as refeições, começaram as urgências,o uso de forros com medo dos acidentes,perdi 10kg e mesmo assim não fui ao medico pois por ser gordinha emagrecer era o máximo, ainda mais sem dieta... LEIA O DEPOIMENTO TODO NO BLOG FARMALE: www.farmale.com.br em Depoimentos.
Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor.
Compartilhe a sua história clicando em Conte Sua História no blog Farmale.
Para ler os depoimentos clique nesse link: www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria
#farmaleconteasuahistoria #conteasuahistoria #ExpressarTranquilizaADor #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes  #farmaleachoudii #retocoliteulcerativa
"Você tem #Crohn !" - Começava ali uma batalha árdua "O crohn me abriu portas para novos sonhos, novos projetos e para uma nova visão de vida" Tudo começou em Fevereiro de 2013,muita dor abdominal, diarréia, vômitos e febre. Foram 4 dias assim, até que não aguentando mais fui pro hospital. Sendo internada com suspeita de apendicite, que por imprudência do médico (digo imprudência pois ele se baseou apenas nos meu sintomas e não investigou) só foi descartado na mesa de cirurgia. Por esse erro passei por mais 2 cirurgias em março e abril do mesmo ano pois não cicatrizava o local. Passado esse período, e uma melhora naqueles primeiros sintomas, em agosto iniciei o curso que tanto queria. Estava bem, mas em setembro as dores voltaram... voltou a diarréia, que me causou muitos constrangimentos.... A febre que vinha sempre a tarde, e eu julgando ser estresse devido à provas e trabalhos, mas não era. A dor começou a vir após as refeições, começaram as urgências,o uso de forros com medo dos acidentes,perdi 10kg e mesmo assim não fui ao medico pois por ser gordinha emagrecer era o máximo, ainda mais sem dieta... LEIA O DEPOIMENTO TODO NO BLOG FARMALE: www.farmale.com.br em Depoimentos. Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Compartilhe a sua história clicando em Conte Sua História no blog Farmale. Para ler os depoimentos clique nesse link: www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria #farmaleconteasuahistoria  #conteasuahistoria  #ExpressarTranquilizaADor  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes  #farmaleachoudii  #retocoliteulcerativa 
E há dois meses descobri que possuo Doença de Crohn.
Antes de contar um pouco sobre a minha história com o Crohn, preciso falar um pouco de mim. Me chamo Carolina Belmonte dos Santos, sou de Santa Rosa - RS e tenho 28 anos. Desde que nasci possuo uma doença raríssima, que afeta 1 em cada 2 milhões de pessoas, chamada Fibrodisplasia Ossificante Progressiva. A FOP faz com que músculos, ossos, tendões e outros tecidos conectivos do meu corpo se transformem em ossos, me imobilizando gradativamente. Esses ossos novos são formados espontaneamente ou devido a traumas e fraturas. Se tentar removê-los, nascerão outros no lugar. Ou seja, se precisar fazer cirurgia por causa do Crohn, um osso se formará no abdômen, que é a musculatura que utilizo para respirar, pois o movimento da minha caixa torácica é praticamente nulo. A FOP não possui tratamento ou cura, tomo doses altíssimas de corticóide (100mg/dia) para tentar baixar o nível de cálcio durante uma crise.
Atualmente passo a maior parte do tempo na cama, perdi o movimento do quadril e joelhos faz 5 anos e não consigo mais me sentar. Meus movimentos dos braços são limitados a um ângulo de 90° faz 7 anos. E há dois meses descobri que possuo Doença de Crohn. Internei algumas vezes nesse período, tive dores insuportáveis, tive vontade de terminar com a minha vida porque aquilo não era vida.
LEIA O DEPOIMENTO todo: www.farmale.com.br em Depoimentos.
Expressar tranquiliza-a-dor.
#farmaleconteasuahistoria#ExpressarTranquilizaADor #crohn
E há dois meses descobri que possuo Doença de Crohn. Antes de contar um pouco sobre a minha história com o Crohn, preciso falar um pouco de mim. Me chamo Carolina Belmonte dos Santos, sou de Santa Rosa - RS e tenho 28 anos. Desde que nasci possuo uma doença raríssima, que afeta 1 em cada 2 milhões de pessoas, chamada Fibrodisplasia Ossificante Progressiva. A FOP faz com que músculos, ossos, tendões e outros tecidos conectivos do meu corpo se transformem em ossos, me imobilizando gradativamente. Esses ossos novos são formados espontaneamente ou devido a traumas e fraturas. Se tentar removê-los, nascerão outros no lugar. Ou seja, se precisar fazer cirurgia por causa do Crohn, um osso se formará no abdômen, que é a musculatura que utilizo para respirar, pois o movimento da minha caixa torácica é praticamente nulo. A FOP não possui tratamento ou cura, tomo doses altíssimas de corticóide (100mg/dia) para tentar baixar o nível de cálcio durante uma crise. Atualmente passo a maior parte do tempo na cama, perdi o movimento do quadril e joelhos faz 5 anos e não consigo mais me sentar. Meus movimentos dos braços são limitados a um ângulo de 90° faz 7 anos. E há dois meses descobri que possuo Doença de Crohn. Internei algumas vezes nesse período, tive dores insuportáveis, tive vontade de terminar com a minha vida porque aquilo não era vida. LEIA O DEPOIMENTO todo: www.farmale.com.br em Depoimentos. Expressar tranquiliza-a-dor. #farmaleconteasuahistoria #ExpressarTranquilizaADor  #crohn 
Como explicar que a diarreia não dá sinal?
Tenho 51 anos, quando nasci fiquei quase um ano e maio internada, pois tinha intolerância à lactose e ninguém conhecia bem isso, diziam que era "alergia a leite ". Fiquei bem, mas sempre que comia algo diferente tinha diarréia,  mas não era nada preocupante. Aos 21 anos casei e logo quis ser mãe,  não engravidei e no curso da pesquisa de infertilidade descobriram que eu tinha endometriose intestinal. Fiz tratamento e em 08/1994 tive minha filha e tudo foi perfeito.
Chegamos em 02/1996 e tive um choque emocional muito grande e no dia seguinte começaram as diarréias,  perda de muco e sangue. Não tinha mais vontade de nada, a perna pesava, para chegar ao trabalho era necessário acordar 2 horas antes e fazer o trajeto Ponto de ônibus e casa umas três vezes por dia. No fim de um mês eu já tinha perdido 20 kilos. Nas consultas com meu clínico e ele dizia que a diarreia era os cachorros quentes estragados (problemas) que eu como na vida. 
LEIA O DEPOIMENTO TODO NO BLOG FARMALE: www.farmale.com.br em Depoimentos.
Contato: ✉ farmaleachou@gmail.com 
#farmaleconteasuahistoria #conteasuahistoria #ExpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes #patientadvocacy #empoweredpatients #patientadvocacy #empoweredpatients #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa #ExpressarTranquilizaADor #empoderarpacientes #farmaleempodera #juntossomosmaisfortes #patientadvocacy #empoweredpatients #patientadvocacy #empoweredpatients #farmaleachoudii #crohn #retocoliteulcerativa
Como explicar que a diarreia não dá sinal? Tenho 51 anos, quando nasci fiquei quase um ano e maio internada, pois tinha intolerância à lactose e ninguém conhecia bem isso, diziam que era "alergia a leite ". Fiquei bem, mas sempre que comia algo diferente tinha diarréia, mas não era nada preocupante. Aos 21 anos casei e logo quis ser mãe, não engravidei e no curso da pesquisa de infertilidade descobriram que eu tinha endometriose intestinal. Fiz tratamento e em 08/1994 tive minha filha e tudo foi perfeito. Chegamos em 02/1996 e tive um choque emocional muito grande e no dia seguinte começaram as diarréias, perda de muco e sangue. Não tinha mais vontade de nada, a perna pesava, para chegar ao trabalho era necessário acordar 2 horas antes e fazer o trajeto Ponto de ônibus e casa umas três vezes por dia. No fim de um mês eu já tinha perdido 20 kilos. Nas consultas com meu clínico e ele dizia que a diarreia era os cachorros quentes estragados (problemas) que eu como na vida. LEIA O DEPOIMENTO TODO NO BLOG FARMALE: www.farmale.com.br em Depoimentos. Contato: ✉ farmaleachou@gmail.com #farmaleconteasuahistoria  #conteasuahistoria  #ExpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes  #patientadvocacy  #empoweredpatients  #patientadvocacy  #empoweredpatients  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa  #ExpressarTranquilizaADor  #empoderarpacientes  #farmaleempodera  #juntossomosmaisfortes  #patientadvocacy  #empoweredpatients  #patientadvocacy  #empoweredpatients  #farmaleachoudii  #crohn  #retocoliteulcerativa 
Me chamo Eder, tenho 28 anos, convivo com a doença de Crohn desde 2014, sou Auxiliar Administrativo e moro em Paraguaçú Paulista
Gente como aqui a maioria deve saber que desde 2014 pra ca eu estou vencendo a doença de crohn, doenca que ataca o aparelho intestinal causando serias inflamaçoes q pode ate levar a morte se nao cuidar desde o começo  e no mais essas inflamaçoes me causaram 9 perfuraçoes no intestino com nome de fissura ou fistula perianal e vim piorando cada vez mais senti fortes dores no corpo, perca de peso de 112 kg fui la pra 69 kg em poucas semanas tive tbm anemia, gastrite, febre,  fraqueza, vomito , sangramento nas fezes problemas na fala (gagueira), raciocinio lento, perca de apetite, suava constante muitas vezes por senti fortes dores nao conseguia dormir chorava e me perguntava porque logo eu meu deus, cheguei a tomar 4 bolsas de sangue fiquei afastado do trabalho 1 ano e meio e corre daqui e corre de la atras de medicos deus ilumino na minha vida...#CROHNEUVOUVENCER Leia todo o depoimento do Eder no Farmale: www.farmale.com.br/2016/08/crohneuvouvencer.html
Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. 
Para compartilhar a sua história clique nesse link: www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html
Para ler os depoimentos clique nesse link: www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria #farmale #FarmaleConteASuaHistoria #ConteASuaHistoria #retocoliteulcerativa #ulcerativecolitis #conscientizardii #crohn #farmaleempodera #empoweredpatients #patientadvocacy #ibdawareness
Me chamo Eder, tenho 28 anos, convivo com a doença de Crohn desde 2014, sou Auxiliar Administrativo e moro em Paraguaçú Paulista Gente como aqui a maioria deve saber que desde 2014 pra ca eu estou vencendo a doença de crohn, doenca que ataca o aparelho intestinal causando serias inflamaçoes q pode ate levar a morte se nao cuidar desde o começo e no mais essas inflamaçoes me causaram 9 perfuraçoes no intestino com nome de fissura ou fistula perianal e vim piorando cada vez mais senti fortes dores no corpo, perca de peso de 112 kg fui la pra 69 kg em poucas semanas tive tbm anemia, gastrite, febre, fraqueza, vomito , sangramento nas fezes problemas na fala (gagueira), raciocinio lento, perca de apetite, suava constante muitas vezes por senti fortes dores nao conseguia dormir chorava e me perguntava porque logo eu meu deus, cheguei a tomar 4 bolsas de sangue fiquei afastado do trabalho 1 ano e meio e corre daqui e corre de la atras de medicos deus ilumino na minha vida...#CROHNEUVOUVENCER  Leia todo o depoimento do Eder no Farmale: www.farmale.com.br/2016/08/crohneuvouvencer.html Conte a Sua História Também! Expressar tranquiliza-a-dor. Para compartilhar a sua história clique nesse link: www.farmale.com.br/p/conte-sua-historia.html Para ler os depoimentos clique nesse link: www.farmale.com.br/search/label/ConteSuaHistoria #farmale  #FarmaleConteASuaHistoria  #ConteASuaHistoria  #retocoliteulcerativa  #ulcerativecolitis  #conscientizardii  #crohn  #farmaleempodera  #empoweredpatients  #patientadvocacy  #ibdawareness