an online Instagram web viewer

#invasoesfrancesas medias

Photos

Set17 – A Fonte dos Ingleses, a poucos metros da Fortaleza de São Julião da Barra, em plena praia de Carcavelos, alberga um poço de água doce e uma cisterna arredondada. Não se trata de um moinho ou azenha como dita a voz popular.
A referência mais antiga conhecida data de 1895, numas cartas militares, e está referenciada como Fonte dos Ingleses. 
Os ingleses construíram aqui a terceira linha das famosas Linhas de Torres (desde a ribeira das Marianas, em Carcavelos, passando para Leste de Oeiras) e destinava-se a permitir que pudessem embarcar numa hipotética fuga frente aos franceses na sua invasão de 1810. Admite-se assim que este poço e cisterna tenham sido construídos nessa altura.
#cascais #historia #historiadecascais #arquivohistoricodecascais #historiasdahistoriadecascais #h2c #carcavelos #invasoesfrancesas
Set17 – A Fonte dos Ingleses, a poucos metros da Fortaleza de São Julião da Barra, em plena praia de Carcavelos, alberga um poço de água doce e uma cisterna arredondada. Não se trata de um moinho ou azenha como dita a voz popular. A referência mais antiga conhecida data de 1895, numas cartas militares, e está referenciada como Fonte dos Ingleses. Os ingleses construíram aqui a terceira linha das famosas Linhas de Torres (desde a ribeira das Marianas, em Carcavelos, passando para Leste de Oeiras) e destinava-se a permitir que pudessem embarcar numa hipotética fuga frente aos franceses na sua invasão de 1810. Admite-se assim que este poço e cisterna tenham sido construídos nessa altura. #cascais  #historia  #historiadecascais  #arquivohistoricodecascais  #historiasdahistoriadecascais  #h2c  #carcavelos  #invasoesfrancesas 
Foi um prazer assistir à apresentação do livro "Terra Queimada" e conversar com o autor, Eduardo Gomes. Partilho tudo com vocês no artigo de hoje!

Link na Bio!

Boa leitura! 
#apresentacao #eduardogomes #terraqueimada #saidadeemergencia #invasoesfrancesas #revolucaofrancesa #leitura #livro #literatura #litterisorbis #readerstagram #readersofinstagram #bookstagram #bookaholic #bookalicious
O Litteris Orbis esteve na Igreja de Santiago para ver a apresentação do livro "Terra Queimada", de Eduardo Gomes. O artigo sai já amanhã! #eduardogomes #invasoesfrancesas #leitura #terraqueimada #literatura #litterisorbis #livros #readerstagram #readersofinstagram #bookstagram #bookaholic #bookalicious
Fooogo! Primeira foto para esta nova conta do Instagram, pareceu adequada! Reconstituição Histórica da Batalha do Vimeiro em 16JUL2017. #BatalhaVimeiro1808 #batalhadovimeiro #vimeiro #invasoesfrancesas #lourinhã #fugadoviajante #viagem #viajar #viajante #travel #traveling #traveler #travelphotography #travelerphotographer #viaggio #voyage #portugal #guerrapeninsular #peninsularwar
Mai08 – Paços do Concelho - Embora não haja registos sobre a data da construção do Palácio dos condes da Guarda, que se terão perdido no terramoto de 1755, foi na década de 1790 que a sua proprietária, D. Inês Margarida, o mandou reconstruir. O Palácio foi ocupado em 1807 pelo Almirante Cotton durante as Invasões Francesas (o General Junot ficou instalado no Solar dos Falcões). Após a morte da proprietária em 1812, o Palácio foi adquirido pelo então presidente da Câmara João Lopes Calheiros e Meneses para sua residência. Só em 1860 passou a ser conhecida como Palácio dos Condes da Guarda quando um dos filhos recebe o respetivo título. Em 1900 o Palácio ainda tinha um corpo central com 3 pisos e na sua estrema sul encostava-se um edifício com 4 pisos onde, no R/C, havia uma famosa Marisqueira só demolida quando o Palácio foi adquirido pela Câmara em 1932mai12, fará 85 anos no próximo sábado.
#cascais #historia #historiadecascais #arquivohistoricodecascais #camaramunicipal #paçosdoconcelho #azulejos #invasoesfrancesas #condedaguarda #palacio
Mai08 – Paços do Concelho - Embora não haja registos sobre a data da construção do Palácio dos condes da Guarda, que se terão perdido no terramoto de 1755, foi na década de 1790 que a sua proprietária, D. Inês Margarida, o mandou reconstruir. O Palácio foi ocupado em 1807 pelo Almirante Cotton durante as Invasões Francesas (o General Junot ficou instalado no Solar dos Falcões). Após a morte da proprietária em 1812, o Palácio foi adquirido pelo então presidente da Câmara João Lopes Calheiros e Meneses para sua residência. Só em 1860 passou a ser conhecida como Palácio dos Condes da Guarda quando um dos filhos recebe o respetivo título. Em 1900 o Palácio ainda tinha um corpo central com 3 pisos e na sua estrema sul encostava-se um edifício com 4 pisos onde, no R/C, havia uma famosa Marisqueira só demolida quando o Palácio foi adquirido pela Câmara em 1932mai12, fará 85 anos no próximo sábado. #cascais  #historia  #historiadecascais  #arquivohistoricodecascais  #camaramunicipal  #paçosdoconcelho  #azulejos  #invasoesfrancesas  #condedaguarda  #palacio 
Abr25 – A ligação de Santo António com os militares começou no Regimento de Lagos. Foi alistado, por alvará de D. Pedro II, como praça, depois de assinado o tratado de paz de 1668 na sequência das guerras da Restauração. Posteriormente, em 1683, D. Afonso VI promoveu-o a capitão e em 1777, o comandante do Regimento de Lagos propôs a sua promoção a major, nos seguintes termos: “certifico que não existe alguma nota relativa a Santo António, de mau comportamento ou irregularidade praticada por ele: nem de ter sido em tempo algum açoitado, preso, ou de qualquer modo punido durante o tempo que serviu como soldado raso no regimento: Que durante todo o tempo, em que tem sido capitão, vai quase para cem anos, constantemente cumpriu seu dever com o maior prazer à frente de sua companhia, em todas as ocasiões, em paz e em guerra, e tal que tem sido visto por seus soldados vezes sem número, como eles todos estão prontos para testemunhar: e em tudo o mais tem-se comportado sempre como fidalgo e oficial: e por todos estes motivos acima referidos considero-o muito digno e merecedor do posto de major agregado ao nosso regimento, e de quaisquer outras honras, graças ou favores que aprouver a S. M. conferir-lhe. Em testemunho do que assinei meu nome, hoje 25 de Março do ano N. S. J. C. 1777. Magalhães Homem”. Em 1779 o pragmatismo do Marquês de Pombal acabou com o pagamento do seu vencimento, mas Junot, como governador-geral de Portugal, reintroduziu este costume promovendo-o, em 1807, a tenente-coronel tendo a imagem do Santo António transitado então para o Regimento de Infantaria 19 de Cascais. Ainda como curiosidade refira-se que o Santo chegou a general num Regimento brasileiro.
#cascais #historia #historiadecascais #arquivohistoricodecascais #fortalezas #invasoesfrancesas #regimentodeinfantaria
Abr25 – A ligação de Santo António com os militares começou no Regimento de Lagos. Foi alistado, por alvará de D. Pedro II, como praça, depois de assinado o tratado de paz de 1668 na sequência das guerras da Restauração. Posteriormente, em 1683, D. Afonso VI promoveu-o a capitão e em 1777, o comandante do Regimento de Lagos propôs a sua promoção a major, nos seguintes termos: “certifico que não existe alguma nota relativa a Santo António, de mau comportamento ou irregularidade praticada por ele: nem de ter sido em tempo algum açoitado, preso, ou de qualquer modo punido durante o tempo que serviu como soldado raso no regimento: Que durante todo o tempo, em que tem sido capitão, vai quase para cem anos, constantemente cumpriu seu dever com o maior prazer à frente de sua companhia, em todas as ocasiões, em paz e em guerra, e tal que tem sido visto por seus soldados vezes sem número, como eles todos estão prontos para testemunhar: e em tudo o mais tem-se comportado sempre como fidalgo e oficial: e por todos estes motivos acima referidos considero-o muito digno e merecedor do posto de major agregado ao nosso regimento, e de quaisquer outras honras, graças ou favores que aprouver a S. M. conferir-lhe. Em testemunho do que assinei meu nome, hoje 25 de Março do ano N. S. J. C. 1777. Magalhães Homem”. Em 1779 o pragmatismo do Marquês de Pombal acabou com o pagamento do seu vencimento, mas Junot, como governador-geral de Portugal, reintroduziu este costume promovendo-o, em 1807, a tenente-coronel tendo a imagem do Santo António transitado então para o Regimento de Infantaria 19 de Cascais. Ainda como curiosidade refira-se que o Santo chegou a general num Regimento brasileiro. #cascais  #historia  #historiadecascais  #arquivohistoricodecascais  #fortalezas  #invasoesfrancesas  #regimentodeinfantaria 
Em 1642, logo após a restauração da independência, o conde de Cantanhede, governador da praça de armas, estabeleceu um plano de defesa da costa de Cascais tendo sido construídas 16 estruturas militares. A Cidadela foi uma delas e encontra-se subdividida em três partes: A chamada Cidadela, ocupada pelo Exército antes da cedência para a construção da atual Pousada; A Fortaleza de Nossa Senhora da Luz (anteriormente afeta ao Estado-Maior da Armada e também já cedida) e; O Palácio, afeto à Presidência da República. Tem ainda a Capela Nossa Senhora da Vitória. No contexto da Restauração da Independência, a praça-forte de Cascais passou a coordenar a linha de fortificações defensivas da margem direita do Tejo. Foi também aqui assinada a rendição do general Jean-Andoche Junot, em 1808, no contexto da Guerra Peninsular. A Cidadela foi utilizada como residência real a partir de 1871, nela tendo falecido o rei D. Luís I. Foi na Cidadela que, em 1878set28, se inaugurou a iluminação pública elétrica em Portugal. Após a Implantação da República Portuguesa, o Palácio ficou dependente da Presidência da República, tendo sido utilizado sobretudo por Óscar Carmona que ali viveu quase todo o tempo em que foi Presidente. Hoje o Palácio constitui o Museu da Presidência e costuma alojar chefes de outros estados de visita a Portugal. 
#cascais#historia#arquivohistoricodecascais#cidadela#restauracaodaindependencia#invasoesfrancesas#implantacaodarepublica
Em 1642, logo após a restauração da independência, o conde de Cantanhede, governador da praça de armas, estabeleceu um plano de defesa da costa de Cascais tendo sido construídas 16 estruturas militares. A Cidadela foi uma delas e encontra-se subdividida em três partes: A chamada Cidadela, ocupada pelo Exército antes da cedência para a construção da atual Pousada; A Fortaleza de Nossa Senhora da Luz (anteriormente afeta ao Estado-Maior da Armada e também já cedida) e; O Palácio, afeto à Presidência da República. Tem ainda a Capela Nossa Senhora da Vitória. No contexto da Restauração da Independência, a praça-forte de Cascais passou a coordenar a linha de fortificações defensivas da margem direita do Tejo. Foi também aqui assinada a rendição do general Jean-Andoche Junot, em 1808, no contexto da Guerra Peninsular. A Cidadela foi utilizada como residência real a partir de 1871, nela tendo falecido o rei D. Luís I. Foi na Cidadela que, em 1878set28, se inaugurou a iluminação pública elétrica em Portugal. Após a Implantação da República Portuguesa, o Palácio ficou dependente da Presidência da República, tendo sido utilizado sobretudo por Óscar Carmona que ali viveu quase todo o tempo em que foi Presidente. Hoje o Palácio constitui o Museu da Presidência e costuma alojar chefes de outros estados de visita a Portugal. #cascais #historia #arquivohistoricodecascais #cidadela #restauracaodaindependencia #invasoesfrancesas #implantacaodarepublica